Saúde e Bem-Estar

  • Saúde

A Ribeira Grande dispunha de instituições hospitalares à medida das que existiam na altura em Portugal. O Hospital da Misericórdia dispensava cuidados de saúde de qualidade para a época e a Câmara dedicava ao bem-estar da população alguma atenção, como se depreende dos gastos que tinha com “físicos”.

Já quanto ao interior ou às restantes ilhas a História não é loquaz, sabendo-se sobretudo que as fomes decorrentes das secas dizimavam regularmente as populações, e deduzindo-se com alguma lógica que doenças endémicas como a malária foram fazendo estragos importantes na saúde pública.

A partir dos anos 50 do século XX, após as últimas grandes fomes no arquipélago, foi criada em Cabo Verde a Missão de Endemias, com o objetivo de extirpar as doenças endémicas, em especial a cólera e a malária, objetivo que foi plenamente conseguido nos anos 60, não sem algumas resistências, no essencial ligadas a atavismos de um grupo da população de Santiago que mantinha reservas em relação aos produtos químicos de desinfeção.

A demografia reagiu de imediato, os índices de mortalidade caíram a pique e o crescimento da população tornou-se vigoroso.

Os governos de Cabo Verde independente estabeleceram programas e metas para a saúde, em especial no que toca à formação de novos médicos e à construção de hospitais e postos clínicos espalhados por todo o país, fazendo com que o nível de saúde das populações se tenha fortalecido em todas as ilhas do país, de forma que ao longo dos 35 anos que leva de independência estabeleceu-se uma rede de assistência de boa qualidade.

A Ribeira Grande dispunha de instituições hospitalares à medida das que existiam na altura em Portugal. O Hospital da Misericórdia dispensava cuidados de saúde de qualidade para a época e a Câmara dedicava ao bem-estar da população alguma atenção, como se depreende dos gastos que tinha com “físicos”.

Já quanto ao interior ou às restantes ilhas a História não é loquaz, sabendo-se sobretudo que as fomes decorrentes das secas dizimavam regularmente as populações, e deduzindo-se com alguma lógica que doenças endémicas como a malária foram fazendo estragos importantes na saúde pública.

A partir dos anos 50 do século XX, após as últimas grandes fomes no arquipélago, foi criada em Cabo Verde a Missão de Endemias, com o objetivo de extirpar as doenças endémicas, em especial a cólera e a malária, objetivo que foi plenamente conseguido nos anos 60, não sem algumas resistências, no essencial ligadas a atavismos de um grupo da população de Santiago que mantinha reservas em relação aos produtos químicos de desinfeção.

A demografia reagiu de imediato, os índices de mortalidade caíram a pique e o crescimento da população tornou-se vigoroso.

Os governos de Cabo Verde independente estabeleceram programas e metas para a saúde, em especial no que toca à formação de novos médicos e à construção de hospitais e postos clínicos espalhados por todo o país, fazendo com que o nível de saúde das populações se tenha fortalecido em todas as ilhas do país, de forma que ao longo dos 35 anos que leva de independência estabeleceu-se uma rede de assistência de boa qualidade.

Autoria/Fonte

Armando Ferreira

Notícias

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa

Quase 80% da flora endémica está em risco de extinção