Cultura - Dança

Correspondendo aos géneros musicais acima descritos, assim se dança em Cabo Verde em estilos tão diversos como a morna, a coladeira e o funaná, os três bailados que podem considerar-se comuns a todos os cabo-verdianos, mesmo na diáspora.

Mas existem outras expressões de dança igualmente apreciadas e praticadas, embora por vezes mais localizadas, como o batuco, sobretudo enraizado em Santiago, o colá, visto mais na Boa Vista, em S. Vicente ou em Santo Antão, o talaia-baxo, o canizade ou o rabolo, no Fogo, assim como o landum, na Boa Vista, a xotice ou as europeias contradança, mazurka e polka.

Destaca-se o aparecimento de grupos de dança artística, com destaque para o Raiz di Polón, cujas coreografias se impuseram não só em Cabo Verde como nos palcos internacionais.

Correspondendo aos géneros musicais acima descritos, assim se dança em Cabo Verde em estilos tão diversos como a morna, a coladeira e o funaná, os três bailados que podem considerar-se comuns a todos os cabo-verdianos, mesmo na diáspora.

Mas existem outras expressões de dança igualmente apreciadas e praticadas, embora por vezes mais localizadas, como o batuco, sobretudo enraizado em Santiago, o colá, visto mais na Boa Vista, em S. Vicente ou em Santo Antão, o talaia-baxo, o canizade ou o rabolo, no Fogo, assim como o landum, na Boa Vista, a xotice ou as europeias contradança, mazurka e polka.

Destaca-se o aparecimento de grupos de dança artística, com destaque para o Raiz di Polón, cujas coreografias se impuseram não só em Cabo Verde como nos palcos internacionais.

Relacionados

Notícias

Cabo Verde e Holanda reforçam cooperação nas áreas do turismo, educação e segurança social

Porto Novo: Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável 2030 com um orçamento de 12 milhões de contos

São Domingos: Arqueólogos da Universidade de Cambridge fazem escavações em Alcatraz

Padre Constantina diz que reabilitação da igreja na Cidade Velha representa reconstrução da história do país

Santa Cruz: Programa Jov@Emprego realiza encontro com os setores privados de produção de “Banana e turismo rural”