Boas vindas ao portal informativo de Cabo Verde

A - ENQUADRAMENTO TECNOLÓGICO

1. Introdução

Vivemos tempos exponenciais, numa curva de evolução das Tecnologias de Informação e Comunicação disponíveis.

Para chegar aos 50 milhões de utilizadores a rádio levou 38 anos.
A Internet precisou apenas de 4 anos.
Em 2011, a Amazon vendeu mais livros digitais do que físicos.
Desde 2011 já existem mais smartphones do que computadores pessoais no mundo. Em 2012, a Apple vendeu mais dispositivos móveis do que computadores... desde que foi fundada!
No final de 2012, 57% dos europeus tinham um smartphone. E desses, 94% também tinham uma tablet.

Em 2016 foram vendidos mais de 400 milhões de smartphones.

2. Próximos horizontes
Em 2017, é inequívoco que mergulhamos numa cultura de ecrã, através do qual vemos, tocamos e movemos informação.
Em 2017, os consumidores são muito diferentes dos de há meia dúzia de anos. Hoje caracterizam-se por serem utilizadores multiplataformas (computador, smartphone, tablet, televisão, consola, etc...), pertencem a várias comunidades (apelidadas de “tribos”) e consomem muitas horas de conteúdos online.
O acesso permanente à informação não é uma moda. É já um modo de vida. As novas tendências assentam no chamado “Boost Instant Communication”, com o stream a dispensar o downloads de aplicações, onde as exigências deste nosso novo consumidor são bastante claras:
“Agora!” (ele quer informação a qualquer hora, em qualquer lugar).
“Posso!” (o consumidor quer efetuar operações e aceder a conteúdos de todo o tipo, à sua medida e de forma relevante).
“Simples!” (ele exige que as interações sejam simples e claras, sem curva de aprendizagem).

3. Soluções informativas para promover Cabo Verde
Com base nesta realidade, a grande questão que fica é:
– No âmbito turístico de Cabo Verde, como conseguimos acompanhar e seduzir este novo público?

Certos de que a resposta é ampla e transversal a toda a atuação pública e privada, no que diz respeito à informação turística prestada sobre o país, quer para o consumidor quer para o investidor, externo e interno, é absolutamente fulcral que exista uma resposta clara e urgente.

4. Sistema de Informação Partilhada (SIP)
CABO VERDE info foi concebida com a designação original de SIP CV (Sistema de Informação Partilhada de Cabo Verde), pois, acompanhando as novas tendências, pretende dar uma resposta imediata e constituir-se como uma ferramenta sólida e transversal a todos os players do mercado, para que a informação de Cabo Verde seja relevante, abrangente, qualificada, o mais aprofundada possível, fidedigna, clara e imediata.

a) Pilares do CABO VERDE info
 Tecnologicamente, o sistema está assente em duas vertentes:

  • Uma plataforma de informação onde são armazenados os vários conteúdos > backoffice.
  • Um website que apresenta e disponibiliza os conteúdos de forma intuitiva e imediata > front-end

b) Estrutura do CABO VERDE info
A plataforma de informação está construída sobre uma base de dados hierarquizada e tendencialmente exaustiva, onde toda a informação de índole turística e relacionada (textual, fotográfica e georreferenciada) está organizada de acordo com uma distribuição temática lógica, espelho da realidade de Cabo Verde:

  • Guia Prático (informação útil liminar)
  • Ilhas (Mapas, Imagens, Roteiro, Localidades, Locais Turísticos, Infraestruturas, Serviços, Eventos).
  • Identidade (Cultura, Demografia, Geografia, História, Meio Ambiente, Personalidades)
  • Economia Moderna (Clusters, Empresas, Investimento, Legislação, Profissões Liberais)
  • Sociedade (Diáspora, Ensino, Justiça, Organização Política e Administrativa, Religião, Saúde e Bem Estar, Sociedade Civil)
  • Construindo (Entrevistas, Reportagens, Publicações, Legislação, Congressos, Debates, Papers…)

c) Dinâmicas do CABO VERDE info

  • Interligação e feed dos conteúdos
    Todos os conteúdos estão pertinentemente relacionados e ao público final são mostradas todas as interligações possíveis e relevantes.
  • A alimentação constante da plataforma pretende-se colaborativa, aberta a toda a comunidade (sem quaisquer fronteiras) e desenhada para que de forma intuitiva e fácil todos os interessados (particulares, empresas, instituições públicas ou privadas, dentro ou fora de Cabo Verde) possam contribuir com o máximo de informação possível, em quantidade e em qualidade.
  • Toda esta informação terá um cunho de qualidade e estará certificada pela entidade promotora do projeto (que por sua vez valida a informação relativa a terceiros junto dos mesmos), garante de que ao consumidor final apenas vão chegar conteúdos qualificados e certificados.
  • Complementaridade com outras fontes de informação
    Não obstante a profundidade dos conteúdos, não se pretende que a plataforma seja vista como uma peça única no vasto panorama de Cabo Verde, mas sim como um complemento a todos os sistemas de informação já existentes, servindo muitas vezes como um simples condutor para websites ou outros canais com informação mais aprofundada em determinada temática ou de natureza volátil, sempre que um link a uma Organização privada ou pública constitua a melhor garantia de informação up to date.

d) Front end

  • A construção do front-end está assente nos mais atuais indicadores tecnológicos, quer no que diz respeito ao desenho, quer à linguagem e programação usados.
  • Ao nível do desenho foram levados em consideração os mais recentes pressupostos de User Interface e de User Experience. Desenho simples, intuitivo e seguindo as últimas tendências de flat design.

e) Recetores

  • A interface está construída numa estrutura de blocos para facilitar a adaptação responsiva aos diversos equipamentos, quer fixos, de secretária, ou móveis, privilegiando soluções abrangentes, mesmo que por vezes haja que sacrificar alguns requintes de design que as novas tecnologias permitem.
  • A adaptabilidade é transversal, quer em termos da forma, quer do conteúdo.
  • Seja qual for a utilização, a hora e local, toda a informação pode ser acedida de forma simples e imediata e os conteúdos são automaticamente disponibilizados de acordo com o aparelho usado. Televisores, computadores ou tablets acedem a todos os conteúdos, extensos e completos ou resumidos; smartphones acedem numa primeira instância a conteúdos resumidos e numa segunda instância, se pretendido, a conteúdos completos.

f) Súmula
Em suma, o CABO VERDE info, do ponto de vista de construção, é uma base de dados assente em tecnologia de última geração, dinâmica, interativa, conectiva, responsiva, com automatismos de georreferenciação, atualização focalizada, identificação de créditos de autoria, produção de estatística e relatórios a pedido, disponibilização de interfaces para aplicações e ligações URL a canais externos de informação, a funcionar in/out.

B - ENQUADRAMENTO TEMÁTICO (CONTEÚDOS, SEU ORDENAMENTO E ACESSO)
Sendo a abrangência e profundidade pressupostos estruturais do CABO VERDE info, algumas notas se impõem à atenção de todos os players do Turismo e da Economia cabo-verdianos, públicos ou privados, sendo geralmente tido como consensual que a indústria do Turismo é transversal, e respeita por isso a toda a estrutura de uma sociedade, mesmo a quem, por absurdo, não conhecesse ou praticasse o Turismo.

Nota 1 – Clusters

  1. A moldagem do CABO VERDE info obedeceu a um caleidoscópio de critérios (institucional, empresarial, legal, económico, cultural, etc.), segundo a perspetiva em que se coloque quem dele precisar de tirar partido.
  2. A focagem é liderada pelo utilizador, através da solicitação das diversas dinâmicas que lhe foram inoculadas pelas tecnologias aplicáveis (ver Enquadramento Tecnológico).
  3. Numa vertente economicista, o CABO VERDE info oferece ao utente uma abordagem por clusters, em cujo contexto o Turismo (leitmotiv desta ferramenta) assume um papel agregador e de locomotiva, graças à sua transversalidade.
  4. Sendo o CABO VERDE info um processo e não uma obra acabada, só quando a fase de carregamentos de conteúdos estiver mais adiantada é que esta abordagem por clusters se tornará verdadeiramente visível no front end.

Nota 2 – Background Histórico, versus scan utilitário

  1. Todos os conteúdos informativos do CABO VERDE info, até ao momento de uma consulta, vão engrossando a sua vertente histórica, nem por isso menos importante e útil aos objetivos de informação e de construção que esta ferramenta pretende disponibilizar a quem dela se sirva.
  2. a démarche de uma consulta a uma ferramenta com a abrangência e profundidade que o CABO VERDE info oferece, busca frequentemente, para além de uma informação estática, por atualizada que seja, o papel de uma ferramenta de construção de um projeto, de um plano, de uma solução, a exigirem não só a atualidade “ao segundo” e o rigor cirúrgico de dados, mas ainda algum dinamismo e interatividade de tratamento de dados que correspondam a um scan fiável da situação hic et nunc.
  3. Mais uma vez, são os canais linfáticos das tecnologias que o enformam (interatividade, conectividade, automatismos, georreferenciação, interfaces para aplicações, URL, etc.) que fazem com que o CABO VERDE info responda positivamente a solicitações tão exigentes.

Nota 3 – Dimensões da informação do CABO VERDE info
O CABO VERDE info é carregado com vários níveis de informação (essencialmente, seis):

  1. roteiro/guia, destinado a uma abordagem rápida e panorâmica, tipo guia básico;
  2. conteúdos desenvolvidos;
  3. artigos específicos, temáticos, apensos a artigos principais, em jeito de notas de rodapé;
  4. imagens, sejam estáticas ou dinâmicas;
  5. mapas, com georreferenciação;
  6. URL de informação para entidades autónomas.

Nota 4 – Terminais de mostra e busca
Tal como se refere em Enquadramento Tecnológico, o CABO VERDE info debita informação responsiva para toda a gama de recetores conhecida (televisor, computador, tablet, smartphone, consola, etc.).

Nota 5 – Acréscimo e atualização da informação contida no CABO VERDE info
Ao longo da vida do CABO VERDE info, o Sistema manterá uma vertente “wikipedia”, que permitirá a quem quer que seja fazer intervenções de melhoria, propondo novos conteúdos, modificações nos existentes, ou mesmo emendas (estas intervenções estarão sujeitas a validação).

Nota 6 – Função agregadora do CABO VERDE info
Entre os inputs que recebemos durante a fase de construção e carregamentos iniciais do CABO VERDE info, convém destacar um que não respeita a conteúdos mas que tem especial relevância: várias organizações recomendam que o CABO VERDE info possa servir para estreitar laços entre os diversos players do Turismo, da Economia e da Sociedade em geral, para além da sua missão natural, a de informar, disponibilizando também serviços facilitadores aos investidores, operadores, organizações e cidadãos, serviços esses (assessoria jurídica, económica, financeira e cultural, formação profissional, licenciamentos...) que poderiam vir a ser articulados com outros prestadores, como é o caso das Câmaras de Comércio, Sociedades de Desenvolvimento, Câmaras Municipais, Administração Pública, ONG, Igrejas, Escolas, Universidades, IGQPI, UCRE, CI, ADEI, Casas do Cidadão, etc..

Eis aqui um vasto programa de vida para o CABO VERDE info, muito para além do seu lançamento e disponibilização ao serviço de todos (pessoas e organizações) quantos se interessam por conhecer e interagir com Cabo Verde.

Nota 7 – Imagens

  1. O CABO VERDE info inclui na sua estrutura ícones, mapas e plantas, bem como utilização de cores, obedecendo porém a um certo low profile que evita transmitir ruído inibidor da agilidade de utilização.
  2. Ainda assim, incluem-se fotos e peças áudio e audiovisuais, cujo número e peso obedecem a critérios técnicos, estéticos e de conteúdo por parte da respetiva gestão.
  3. A aplicação do Google Maps, Google Earth e do Wikimapia enriquecem sobremaneira o CABO VERDE info, conferindo rigor, riqueza e atratividade a todo o acervo de informação georeferenciável.

Nota 8 – Pontes para a Diáspora

  1. O CABO VERDE info, funcionando para além das limitações espaciotemporais, é o meio ideal para lançar pontes de relação e empreendedorismo entre o país residente e o país diasporizado, cujo enorme potencial para a construção da nação cabo-verdiana, dentro e fora do território nacional, é por demais evidente.
  2. Aqui também, trata-se de derrubar barreiras de burocracia, desconhecimento e resistência à cooperação, não somente entre cabo-verdianos residentes e os espalhados pelo mundo, como ainda entre pessoas, organizações, países e mercados a quem Cabo Verde interesse.

Nota 9 – Plano Estratégico Nacional para o Turismo
CABO VERDE info contém todas as sementes para alicerçar os vetores de um Plano Estratégico do Turismo de Cabo Verde a médio prazo, em articulação entre as diversas Organizações que se relacionam, direta ou indiretamente, com o TURISMO.

Nota 10 – TMS (Tourism Management System)
Finalmente, CABO VERDE info está preparado para albergar um sistema de reservas que leve toda a oferta existente em Cabo Verde a todo o mundo, online.

Você faz parte do número crescente de utilizadores de um smartphone que acedem a conteúdos disponibilizados na NET.

No CABO VERDE info você pode aceder, em modo resumido ou alargado, a informação abrangente, tendencialmente exaustiva, de qualquer vertente (geográfica, histórica, artística, cultural, económica, política, religiosa, social...) de Cabo Verde.

Sendo a vocação das organizações do Turismo de Cabo Verde, públicas e privadas, em cooperação construtiva, servir todos os players que se inserem na indústria do Turismo deste país, um arquipélago tropical de 10 ilhas e 16 ilhéus postado no Atlântico médio, habitado por um povo sui generis, com uma História e uma Cultura muito específicas, ainda pouco conhecidas, a estrutura do caboverde-info.com busca identificar a oferta turística de Cabo Verde e disponibilizá-la, em toda a sua riqueza, a quem quer que se interesse por este destino.

É uma tarefa complexa e trabalhosa, pois como é sabido o Turismo implica transversalmente toda a vida de um destino, mas é apaixonante, convictos que estamos de que tanto no país como pelo mundo, encarar Cabo Verde como um destino turístico virado para o futuro, no qual é coisa natural usufruir não só do sol e do mar, que banham abundantemente este país, mas ainda do conhecimento de uma realidade cultural, social, económica e histórica única e inexplorada, com acesso a experiências surpreendentes de satisfação multimodal das necessidades de lazer, atividades lúdicas, estéticas, sociais, de usufruto sustentável da natureza e tantas outras que caracterizam as aspirações da nova onda de turistas.

Não hesite em navegar neste portal e colher nele o prazer de uma descoberta surpreendente.

Autoria/Fonte
Luís Carvalho, Armando Ferreira

Notícias

Ministro da Economia participa do 3º Fórum Mundial da ICAO em Abuja

Cabo Verde caiu para a quarta posição do Índice Ibrahim de Governação Africana

Cabo Verde confia numa futura parceria com a União Europeia

Santiago Norte: Organizadores fazem balanço positivo da primeira edição da feira Expo Santiago

Turismo: Reino Unido lidera entradas e dormidas em Cabo Verde no 3º trimestre

Santiago: Escola de Música de São Domingos é inaugurada hoje

Mindelact’ 2017 – Organização diz que foi o melhor de sempre

“Na bancada todos têm opinião”, a resposta de Olavo Correia a José Maria Neves

Portugal acolhe Fórum de Desenvolvimento de Cabo Verde com enfoque no investimento externo

Bruma seca: voo da TAP desviado de São Vicente para a Praia

São Vicente: 21ª FIC com 100 expositores 53% dos quais de operadores de Cabo Verde

Cabo Verde e China renovam acordo no domínio da defesa

Mindelo acolhe XXI Edição da Feira Internacional de Cabo Verde

Ulisses Correia preside abertura Fórum Nacional de Educação

Estado ainda não concretizou entrada no capital da Binter Cabo Verde

Chegou o primeiro avião da Icelandair, há mais três a caminho

Fundação Amílcar Cabral cria circuito turístico do grogue e seus derivados em Santo Antão

Carvão do Maio pode vir a ser comercializado a partir de quarta-feira com marca própria

TUI já voa directo de Amsterdão para a Praia

Jorge Figueiredo acreditado como embaixador de Cabo Verde em Angola

Plano de emergência de Santa Catarina do Fogo ascende a 22 mil contos

Jaime Mayaki, OMT: O turismo não pode continuar a ser pensado como antes

TACV retoma ligações diárias entre Praia e Lisboa a partir de 7 de Novembro

Morabeza Festa do Livro arranca com formações e lançamento de livro de Eugénio Tavares

Porto Novo: Criação da paróquia São João Paulo II vai no mesmo sentido daquilo que pretendemos a nível autárquico – edil

Arlindo Carvalho é o novo presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde

Presidente da Câmara de Deputados de Luxemburgo visita Cabo Verde