Indicador de confiança no consumidor mantém tendência ascendente em Cabo Verde

O Indicador de Confiança no Consumidor (ICC) em Cabo Verde manteve, no quarto trimestre de 2016, a tendência ascendente dos últimos trimestres, registando nesse período o valor mais alto dos últimos sete trimestres consecutivos, de acordo com dados do inquérito de Conjuntura no Consumidor.

De acordo com estes dados apurados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e divulgados terça-feira última na cidade da Praia, a confiança dos Cabo-verdianos na economia continuou a aumentar, relativamente ao mesmo período do ano 2015.

No 4º trimestre 2016, as famílias inquiridas consideram que, globalmente, a situação económica no país teve um comportamento negativo quando comparado com o trimestre homólogo, apesar de reconhecerem que, tanto os preços de bens e serviços como o desemprego no país, diminuíram face ao trimestre homólogo.

Em relação à poupança, cerca de 75% dos inquiridos consideraram que, com a atual situação económica do país, não será possível poupar dinheiro, tendo este percentual sido de 87% no trimestre homólogo do ano anterior.

20% dos inquiridos afirmam ser possível poupar algum dinheiro com a atual situação económica do país, contrariamente aos 5% registados no trimestre homólogo.

Conforme os dados apurados pelo INE, as famílias inquiridas não têm a intenção de comprar ou construir uma casa nos próximos 2 anos e a maioria, ou seja 87% é da opinião de que não irá comprar, nem construir casa, contra 97% registados no período homólogo.

Entretanto, os Cabo-verdianos dizem acreditar que, para os próximos 12 meses, tanto a situação financeira das famílias como a económica, deverão evoluir positivamente face ao mesmo período do ano 2016.

Segundo as famílias inquiridas, tanto os preços de bens e serviços como o desemprego deverão diminuir quando comparado com o trimestre homólogo.

Fonte: Panapress

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa