Volume de negócios nos serviços regista variação homóloga de 5,8% no primeiro trimestre de 2017

O índice de volume de negócios no setor dos serviços registou um aumento de 5,8% no primeiro trimestre de 2017 face ao mesmo período de 2016, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com os indicadores de atividades no setor dos serviços divulgados hoje, o índice de volume de negócios nos serviços não mercantis e não financeiros registou, em termos homólogos, um aumento de 5,8% no primeiro trimestre de 2017.

Para tal contribuíram, sobretudo as secções do comércio por grosso, reparação de veículos automóveis e motociclos, e de actividades de informação e comunicação (4,7 e -0,6%), em resultado de variações de 8,6% e -8,1 respetivamente.

Já as restantes secções, nomeadamente transportes e armazenagem e alojamento e restauração (restaurantes e similares) apresentaram uma contribuição de 0,2% para a variação do índice.

O documento mostra, entretanto, que o índice de volume de negócios nos serviços registou um aumento trimestral, ou seja, face ao trimestre anterior de apenas de 0,6%.

No que se refere emprego, o documento divide em esse indicador em serviços a tempo integral (número de pessoal ao serviço remunerado a tempo integral) e total (número de pessoal ao serviço remunerado a tempo integral e parcial), indicando que no primeiro trimestre de 2017 houve uma variação homologa de -0,8% e 0,3%, respetivamente.

O índice de remunerações brutas situou-se em 2,3% em termos homólogos, enquanto que a variação trimestral diminuiu 3,2%.

Os indicadores de atividade do sector serviços têm por objetivo proporcionar, através dos índices de volume de negócios, emprego e remunerações nos serviços, indicadores de evolução do mercado de bens e serviços neste setor.

Segundo o INE estes índices são calculados com base no inquérito amostral aos indicadores de actividade do setor serviços, realizado essencialmente por recolha direta, junto de unidades estatísticas (empresas) sediadas no território nacional.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa