União Europeia quer alargar participação de Cabo Verde no Programa de Investigação e Inovação

A União Europeia (UE) quer aumentar a participação de Cabo Verde no Programa Quadro de Investigação e Inovação daUE, para uma relação “de igual para igual” com o arquipélago na área de investigação ciência e inovação.

Esse desejo foi manifestado hoje, na Cidade da Praia, pelo comissário da UE para area de Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, à saída de um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, na sequência da visita que realiza a Cabo Verde, visando o reforço da cooperação entre Cabo Verde/União Europeia.

O comissário europeu salientou que Cabo Verde tem a capacidade para tornar numa plataforma que permite uma conetividade entre a Europa, África e América, e ajudar a UE a alcançar aquilo que é o seu maior objetivo, que é alcançar a África.

“O presidente Junker no seu discurso de Estado da Nação disse que o nosso maior objetivo é realmente a África, mas um objetivo diferente numa relação diferente e foi aqui que falamos hoje com o senhor primeiro-ministro. Uma relação de igual para”, disse.

Esta visita vem realçar a importância da parceria especial entre a União Europeia e República de Cabo Verde e reforçar a cooperação cientifica nos domínios da investigação marinha e alteração climática.

Durante a sua estadia Em Cabo Verde vai ser assinado um acordo entre a UE e Cabo Verde na área da inovação ciências e investigação marítima e marinha.

Na perspetiva de Carlos Moedas uma das “grandes vantagens” dessa relação, que se quer “de igual para igual” é ter mais cientistas cabo-verdianos a participar no programa quadro de Investigação e Inovação da UE, o Horizonte 2020.

Cabo Verde usufruiu até este momento do programa de ciência europeu no montante de cerca de 250 mil euros e a intenção é de, “pelo menos duplicar ou triplicar” esse valor.

“Hoje, com Cabo Verde temos quatro projetos e cinco cientistas que têm bolsas da Europa para estudar, para viver ou para colaborar e, portanto, estamos a falar de juntar Cabo Verde ao programa da Ciência Europeu e isso dá-se através da colaboração de Cabo Verde com instituições, universidades e empresas na europa para concorrer ao programa”, explicou .

É nesse quadro que é realizado hoje um seminário sobre o Programa Quadro de Investigação e Inovação da UE, o Horizonte 2020, visando o esclarecimento e a preparação dos cientistas sobre como eles podem concorrer ao programa

“O que estou na prática a fazer aqui, é pôr também aquilo que é o meu peso em relação a esse objetivos de Cabo Verde”, indicou.

Para além de participar da abertura do seminário e do encontro com o Chefe do Governo cabo-verdiano, o Comissário Europeu realizou na manhã de hoje uma visita de cortesia ao Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Fonte: InforPress

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”