Santo Antão: Raízes aposta na criação de “novas dinâmicas” para um turismo rural de qualidade na ilha

A criação de “novas dinâmicas” visando “um turismo rural de qualidade” em Santo Antão, constitui propósito de uma série de workshop, que está a ser realizada em várias localidades com potencial turístico desta ilha, através do projecto Raízes.

Corda e Lagoa do Planalto Leste são algumas localidades já abrangidas pelas formações sobre o turismo rural, promovidas pelo projecto (Redes Locais para o Turismo Sustentável e Inclusivo de Santo Antão), iniciado em Setembro de 2017, com o co-financiamento da União Europeia, em 55 mil contos.

Segundo a equipa deste projecto, essas formações visam preparar as comunidades para que possam tirar o maior provento dos recursos existentes e acolher bem os turistas que visitam o interior da ilha.

No caso da Corda, na Ribeira Grande, é uma região com “um potencial turístico elevado”, mas pouco explorado, segundo a direcção do projecto Raízes, que entende que a formação e capacitação é “uma mais-valia” para o incremento do turismo rural em Santo Antão.

O turismo, que tem estado a aumentar, nos últimos anos, em Santo Antão, tem gerado novas oportunidades de negócios em áreas directa ou indirectamente ligadas ao sector turístico, como artesanato, comércio e transformação agro-alimentar, porém, ainda pouco exploradas.

O projecto Raízes tem estado a alertar para “uma reduzida capacitação” com que os empreendedores santantonenses iniciam seus negócios que, uma vez não apresentando resultados imediatos, acabam por ser abandonados.

Como forma de preencher esta lacuna, este projecto tem, também, apostado na formação a empreendedores com ideias de negócios em áreas como artesanato e transformação de produtos agro-alimentar, “ainda pouco exploradas”.

O projecto Raízes pretende estimular o empreendedorismo e capacitar novos empreendedores para o desenvolvimento de negócios sustentáveis na área do turismo.

A formação dos agentes turísticos, a valorização do património natural, a promoção das potencialidades turísticas, a promoção do artesanato, a certificação dos produtos locais (grogue e outros) são algumas das acções previstas no âmbito do projecto Raízes, na fase de implementação desde Setembro de 2017.

Mais de 26 mil turistas visitaram Santo Antão em 2017, registando um crescimento de 23,8% em relação a 2016 e, a avaliar pela “grande movimentação” de turistas que se tem registado, nesta ilha, os operadores acreditam que o turismo vai continuar a crescer nesta região.

Fonte: InforPress

Notícias

Cabo Verde e Holanda reforçam cooperação nas áreas do turismo, educação e segurança social

Porto Novo: Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável 2030 com um orçamento de 12 milhões de contos

São Domingos: Arqueólogos da Universidade de Cambridge fazem escavações em Alcatraz

Padre Constantina diz que reabilitação da igreja na Cidade Velha representa reconstrução da história do país

Santa Cruz: Programa Jov@Emprego realiza encontro com os setores privados de produção de “Banana e turismo rural”