Regionalização: Olavo Correia reposiciona-se

“O futuro de Cabo Verde não está na regionalização, mas sim na sua abertura ao mundo...”

O vice-primeiro ministro, Olavo Correia, apresentou hoje via Facebook, uma nova posição sobre a regionalização de Cabo Verde. Isto contrariando o que havia dito há uma semana na conferência da JPD, na Assomada, durante a qual defendeu a manutenção de Santiago como uma única região.

Na citada conferência, o vice-prisendente do MpD e vice primeiro-ministro, Olavo Correia, mostrou-se contra a divisão da ilha de Santiago em duas regiões, Norte e Sul. Defendeu, em vez disso, Santiago como uma “ilha unida” e focada na “optimização dos seus recursos”. E alerta: “O futuro de Cabo Verde não está na regionalização, mas sim na sua abertura ao mundo…”, disse na altura.

Por isso, para o número dois do sistema ventoinha, do ponto de vista do desenvolvimento integrado, não faz sentido ter a ilha de Santiago dividida em duas regiões. “A ilha deve ser vista numa lógica de um todo”.

E explicou: “Se olharmos para o espaço que é tão pequeno, devemos pensar na sua unificação numa perspectiva de acrescentar valor. Por isso, não faz sentido ter aqui duas pastas, do ponto de vista político. Temos que olhar Santiago conectada com o mundo a nível tecnológico, dos transportes aéreo e marítimo. Mas também na qualificação dos recursos humanos. Portanto, não devemos pensar de uma forma isolada em Santiago Norte e Sul. É este o desafio”, apontou.

O governante alertou, ainda, que “todos aqueles que estão a pensar que o problema do país pode ser resolvido via regionalização estão completamente enganados. Assim como nunca foi resolvido pela via da descentralização”.

Hoje, segunda-feira, 2, Olavo Correia publicou o seguinte post na sua página de Facebook.

Post publicado na integra:

Regionalização.

Uma necessidade nesta nova fase de desenvolvimento do país.

Nesta nova fase de desenvolvimento de Cabo Verde, o país precisa melhorar a eficiência na governação pública, valorizando as ilhas, os seus talentos, as suas especificidades e seus recursos endógenos.

Apostando na sua abertura e conectividade ao mundo, através dos transportes, da tecnologia e da qualificação dos recursos humanos.

O futuro de Cabo Verde dependerá muito da solução que vier a ser construída para dar resposta a esta necessidade.

Esta nova fase requer sim a aceleração do aprofundamento da descentralização, passando, necessariamente, pela regionalização do país.

O foco tem de ser o desenvolvimento das Ilhas no quadro de “um mundo sem fronteiras e sem limites”.

O MPD e o Governo estão a cumprir.

O Conselho de Ministros acabou de aprovar, por unanimidade, no dia 29 de março, a proposta de lei que cria e regula o modo de eleição, as atribuições e a organização das Regiões Administrativas.

Depois de muito debate no partido e na sociedade.

O debate continua, pois é preciso um consenso político e ao nível da sociedade. Debate aberto, responsável e sem qualquer tabu.

Debate em torno das ideias.

Estamos todos empenhados no partido e no Governo para que a lei seja aprovada.

Participando activamente no debate como vimos fazendo desde sempre.

Todas as ilhas de Cabo Verde têm condições para serem desenvolvidas.

É preciso ousar! Ousar sempre! Sem medo.

Fonte: A Nação

Notícias

Respostas rápidas: Quem deve pagar a Taxa de Segurança Aeroportuária?

São Vicente: Kiki Lima expõe “Real aparência” quando está prestes a completar 50 anos de pintura

Número de hóspedes aumentou 9,5% no segundo trimestre de 2018 face ao período homólogo – INE

Frescomar anuncia novos investimentos em São Vicente e no Sal de mais de seis milhões de euros

Direitos: Cabo Verde destaca em conferência no Canadá apoio do governo e instituições aos movimentos LGBTI

Santo Antão recebe três centros de interpretação turística para retratar património e identidade cultural da ilha

Raiz di Polon na 10ª edição do Festival de Teatro Lusófono

MCIC visita oficina de verão na Cesária Évora Academia de Artes

Filme cabo-verdiano “Firmeza” seleccionado para o Sacramento Underground Film & Arts Festival dos EUA

Filme “Os dois irmãos” selecionado para a competição oficial no 42º Festival de Cinema de Montreal/Canadá

Ilha do Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” define estratégias e cria comités municipais para implementação do modelo agro-turismo

Nosi e Cabo Verde TradeInvest na China para dar avanço ao projecto de Computação em Nuvem da África Ocidental

Reconhecimento internacional do vinho do Fogo é exemplo para produtores de grogue de Santo Antão

“Se Cabo Verde não é capaz de organizar um discurso histórico, alguém será capaz”

Cabo Verde conquista duas medalhas de ouro no concurso Mundial de Vinhos Extremos em Itália

Editorial: Estado da Nação em “gestão corrente”

Quem comprar a TACV assume a gestão por, pelo menos, 5 anos

Primeiro-ministro anuncia proposta da Icelandair para comprar TACV

Exportações aumentam 14% no 2º trimestre deste ano

Empresários desesperam pela mobilidade económica

Angola, Brasil e Moçambique têm total de 720 mil "escravos modernos". Cabo Verde também faz parte da lista

Suspensão levantada. Cabo Verde Airlines já pode voltar aos aeroportos italianos

Cabo Verde apresenta programa da presidência da CPLP

“Os alunos que só sabem crioulo, o resultado é o isolamento”

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo