Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

Para levar avante os seus intentos, a Associação de Turismo do Maio pretende contar com todos os parceiros a nível local e nacional.

A ilha do Maio conta a partir de agora com a Associação de Turismo do Maio, criada no passado fim-de-semana e liderada pelo empresário Arlindo Cardoso, cujo objectivo é transformá-la num destino turístico de excelência.

Arlindo Cardoso assegurou que a sua missão enquanto representante desta agremiação é trabalhar para colocar a ilha do Maio na lista dos destinos turísticos de excelência e um dos mais procurados a nível nacional, tendo em conta que existe um potencial local, mas que ainda não está sendo aproveitado.

“A ilha do Maio tem todas as condições para ser um destino turístico de excelência, mas a nível de contribuição para arrecadação da receita turística, somos a que menos arrecada e questiona-se o porquê se temos enormes potencialidades, com lindas praias, mas que precisa melhorar muito no potencial ambiental e não só”, advogou.

Arlindo Cardoso disse ainda que uma das suas intervenções como representante da Associação de Turismo do Maio vai ser “sem dúvida” exigir do governo central a melhoria de condições de acesso à ilha tanto via marítimo como aéreo, apesar do anúncio feito e do compromisso assumido com o povo maiense.

“Porque não num futuro próximo almejarmos ter ligações diárias, com barcos tipo catamarã e também com aviões diários e regulares com a Cidade da Praia?”, questionou aquele representante.

Para levar avante os seus intentos, a Associação de Turismo do Maio pretende contar com todos os parceiros local e nacional, segundo Arlindo Cardoso.

“Também queremos ter uma ilha com mais cultura, com agricultura, mais pesca, mais arte, acima de tudo com mais formação para os jovens, a fim de poderem aproveitar as oportunidades que vão surgindo com o desenvolvimento”, notou.

Para aquele representante, a segurança é “fundamental” para garantir uma estadia segura aos turistas que visitam a ilha, e sublinhou que o aspecto da história cultural e sua divulgação deve ser “um imperativo”, porque, entende, o Maio tem uma “riqueza” neste aspecto e hoje muitas pessoas estão à procura deste tipo de seguimento de turismo cultural, assim como ambiental.

A planificação e requalificação urbana também, no entender do presidente daquela associação, é “fundamental” para que a ilha não venha a deparar-se com a situação que vem acontecendo nas ilhas da Boa Vista e do Sal, com a proliferação de barracas e outras questões sociais.

O acto da assembleia geral constituinte, que aconteceu no passado fim-de-semana contou com a presença do edil maiense, Miguel Rosa, vice-presidente da Câmara de Turismo, presidente e vice-presidente da Associação de Turismo de Santiago, bem como representantes das organizações não governamentais e representantes dos serviços desconcentrados do Estado na ilha.

Fonte: A Nação

Notícias

Só é património aquilo que temos hoje. Património é Presente

Câmara de Turismo de Cabo Verde vai ser transformada em Federação das Associações de Turismo

“MEETUP TREKKING” São Nicolau: Descobrir a cultura e as vivências locais, caminhando

Hilton Cabo Verde Sal Resort conquista dois prémios no World Travel Awards 2018

9ª edição do Cabo Verde International Film Festival arranca hoje: Firmeza abre o festival