Presidente preocupado com impacto do “Brexit” no turismo em Cabo Verde

O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, manifestou-se, segunda-feira, em Lisboa (Portugal), preocupado com o impacto da vitória, no turismo país, do “Brexit”, que ditou a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Jorge Carlos Fonseca, que prestava declações à imprensa no final duma cerimónia de condecoração do anttigo Presidente português, António Ramalho Eanes, sublinhou que o mercado turístico britânico representa 25% dos clientes em Cabo Verde.

Cabo Verde segue “com atenção e interesse”, o desenrolar da situação resultante da retirada do Reino Unido da UE, com a qual Cabo Verde tem uma parceria especial desde de 2007, afirmou o chefe de Estado cabo-vediano.

“A UE é um grande parceiro comercial de Cabo Verde e tudo isso não pode ser indiferente ao nosso olhar. Acompanhamos uma situação cujos impactos ainda não são previsíveis", alertou.

No entanto, quando questionado sobre se teme que o novo panorama político possa afetar Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca respondeu que "há que ter cautela" nas análises.

"À primeira vista sim, mas convém ter alguma cautela, porque, às vezes, aquilo que pode parecer poder ter impactos muito fortes e muito alargados, pode traduzir-se em impactos num prazo muito curto", anotou.

"De qualquer maneira, Cabo Verde é um país muito pequeno, tem características próprias e os impactos que uma economia tão grande como a do Reino Unido podem provocar num país pequeno podem não ter uma grande relevância em termos comparativos e relativos", sustentou Jorge Carlos Fonseca.

De acordo com dados divulgados em maio último pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o Reino Unido foi o principal mercado emissor de turistas que visitaram Cabo Verde no primeiro semestre de 2016 com 36 mil e 334 entradas, representando 19,1% do total.

Seguem-se a França, Alemanha e Países Baixos responsáveis por 11,7; 10,8 e 10,6% das entradas, respectivamente, de acordo com o INE.

Relativamente às dormidas, o Reino Unido, com  um milhão e 55 mil e 793 dormidas, ficou também em primeiro lugar com 26,8% no total, seguido da Alemanha, de Portugal, da Itália e da França, com 15,5; 11,7; 10,5 e 9,3%, respectivamente.

Os dados do INE indicam ainda que a maioria dos turistas provenientes do Reino Unido preferiram como destino as ilhas do Sal, com 53,6% das dormidas e da Boa Vista com 45,2%.

Fonte: Panapress

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa