Porto Novo: Projecto Raízes aposta na valorização do artesanato local com capacitação dos artesãos

A valorização do artesanato produzido em Santo Antão constitui um dos propósitos do projecto Raízes (Redes locais para o turismo sustentável e inclusivo), no âmbito do qual está a decorrer, no Porto Novo, uma formação para artesãos locais.

Nesta formação, de cinco dias, participam 14 artesãos portonovenses que vão poder, com esta acção, melhorar as técnicas desta arte, além de conhecerem os aspectos relacionados com o tamanho e utilidade das peças e com o marketing associado aos produtos.

Segundo a direcção do projecto Raízes, o propósito desta acção, aberta segunda-feira, é preparar os artesãos com vista a aproveitarem as oportunidades que o turismo traz ao artesanato, contribuindo para a sustentabilidade desta actividade de “particular importância” para o desenvolvimento de Santo Antão.

A formação acontece numa altura em que a Associação dos Artesãos do Porto Novo está a criar as condições visando a criação, “dentro de pouco tempo”, de uma oficina de produção do artesanato neste concelho, projecto que já tem financiamento garantido através do fundo do ambiente.

Essa associação, criada há quase quatro anos, já assinou com o fundo do ambiente um contrato-programa com vista à montagem da oficina, que será baptizada com o nome de “eco-art”, a qual funcionará na antiga escola de Alto Peixinho, na cidade do Porto Novo.

Com a criação da oficina de produção do artesanato, os artesãos esperam ainda contribuir para o fomento dessa actividade neste concelho, de grande tradição nesse sector.

Previsto para três anos, com o financiamento da União Europeia, em 55 mil contos, o projecto Raízes, promovido pela Associação para a Defesa do Património de Mértola, Portugal, tem como uma das principais metas a diversificação e qualificação, até 2020, da oferta turística em Santo Antão, com base na valorização do património.

Fonte: InforPress

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa