PR promete usar sua influência para melhorar a integração dos imigrantes em Cabo Verde

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, promete usar a sua magistratura de influência para ajudar numa “melhor integração possível” dos imigrantes em Cabo Verde e afirma que o país deve continuar a dar o exemplo de abertura.

Em entrevista à revista Caminhar, da Plataforma das Organizações Não-Governamentais de Cabo Verde, disse que, dado o seu interesse nessa matéria, tem uma conselheira para questões da emigração das comunidades cabo-verdianas e da imigração que estabelece contactos “permanentes” com o departamento do Ministério dos Negócios Estrangeiros encarregue desse setor em Cabo Verde.

“Tenho usado a minha magistratura de influência para sensibilizar as autoridades no sentido da melhor integração possível dos imigrantes”, disse o Chefe de Estado, em entrevista à revista Caminhar, mostrando-se interessado em ajudar os imigrantes a ultrapassar os problemas que os afetam.

O Presidente da República revelou, por outro lado, ter “contactos permanentes” com as estruturas associativas das comunidades imigradas.

“Pessoalmente, já visitei algumas sedes dessas associações e já convidei alguns dos seus responsáveis a virem à Presidência da Republica”, afirmou, acrescentando que tem dialogado com o Governo com o propósito de tentar resolver os problemas das comunidades imigradas.

Para Chefe de Estado, a imigração em Cabo Verde é um “fenómeno relativamente recente”, o que justifica alguns problemas surgidos no concernente à integração dos cidadãos que procuram Cabo Verde para viver.

Defende, porém, que “tem que haver uma pedagogia e educação para uma aceitação mais incondicionada” da presença dessas comunidades que, segundo ele, ao fim ao cabo, “estão a contribuir para o processo do desenvolvimento de Cabo Verde”.

“Tem que haver um aprimoramento institucional para que essa integração social e cultural se faça com uma melhor performance”, indicou o Presidente da República, referindo-se aos imigrantes da Costa Africana que vivem no arquipélago.

Neste processo de pedagogia, defende que os profissionais da comunicação social têm um a um “papel relevante” a desempenhar, através de informação, formação e divulgação de atos realizados pelas comunidades imigradas.

Em seu entender, há segmentos “muito diferenciados” deste fluxo imigratório, num país como Cabo Verde, onde existem também instituições frágeis, que, apesar disso, tem registado alguns avanços.

Segundo o Chefe de Estado, alguns estudos mostram que há certas dificuldades do país no sentido de garantir uma “integração mais perfeita” dos imigrantes, mas que também da parte desses existem problemas que se devem a fatores, como a falta do conhecimento da língua portuguesa, a língua oficial em Cabo Verde.

“Os problemas da escolarização também dificultam a integração, assim como as fragilidades do nosso mercado de trabalho”, acentuou Jorge Carlos Fonseca, acrescentando que tudo isto dificulta o processo de integração de muitos segmentos imigratórios, nomeadamente aqueles que são provenientes da Comunidade Económica para o Desenvolvimento de Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Instado se as autoridades nacionais têm feito o necessário para facilitar a integração dos imigrantes, mormente os da CEDEAO, Jorge Carlos Fonseca respondeu que sim e citou algumas medidas adotadas, nomeadamente a criação de uma unidade de imigração, assim como um conjunto de textos legislativos e regulamentos sobre o processo de integração e normas sobre a entrada e permanência de estrangeiros em Cabo Verde.

“Há um conjunto de projetos em curso para facilitar e acelerar o processo de imigração, acesso ao mercado do trabalho e à saúde”, assinalou o Chefe de Estado, que se referiu ainda à preocupação de se formalizar as relações de trabalho, através de um contrato escrito, e, ainda, o acesso dos imigrantes à habitação, estabilidade através de contratos de arrendamento.

Fonte: Sapo Notícias

Notícias

Estrada de Chã de Pedras inaugurado no dia 25 de junho

Maritza Rosabal visita Sal e São Nicolau

Cabo Verde vai negociar com UE alargamento do acordo de parceria

FMI em Cabo Verde para avaliar políticas macroeconómicas

Ilha Brava: V Edição da Feira Agro-Pecuária começa hoje

Equipa de Coordenação de Reformas da Administração Pública já foi constituída

Governo vai aumentar o salário mínimo nacional para 15 mil escudos mensal até 2021

Cabo-verdiano reconduzido como Juíz do Tribunal Internacional dos Direitos do Mar

Governo e oposição concertam posições em matérias estruturantes para Cabo Verde

UE alarga prazo a Cabo Verde para exportar pescado no mercado europeu

Cabo Verde reavalia investimentos do BAD dado baixo nível de execução de projetos

Cabo Verde enfrenta ainda “grandes precariedades” na disponibilização de água - PR

90,1% da população já tem acesso à eletricidade em Cabo Verde, diz estudo

Advogados suspendem assistência judiciária oficiosa em Cabo Verde

Empresário chinês de Macau abre banco em Cabo Verde

Banco Central de Cabo Verde procede a corte de dois pontos na taxa diretora

Côte d’Ivoire interessada na experiência de Cabo Verde em matéria de governação eletrónica

Workshop nacional prepara novo quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas – UNDAF

Empresários cabo-verdianos procuram novas alternativas de negócios em missão à Holanda e Luxemburgo

Volume de negócios nos serviços regista variação homóloga de 5,8% no primeiro trimestre de 2017

Prémio Nacional de Qualidade distingue organizações que contribuem para competitividade do país

Binter Cabo Verde promete que vai garantir “ligação eficiente” entre as ilhas a partir de 1 de Agosto

Porto de águas profundas chumbado pelo Governo

São Vicente: Os artesãos e o CNAD realizam Feira de Artesanato em comemoração do Dia das Crianças