OMT e ministros do turismo debatem “excesso de turismo”

A OMT recorda que mais de 1,2 mil milhões de turistas internacionais viajaram em 2016 e esse número deverá crescer para 1,8 mil milhões até 2030

“Excesso de turismo” ou “turismofobia” vai ser o tema da cimeira da Organização Mundial do Turismo (OMT) e dos ministros do Turismo de todo o mundo, e que tem lugar nesta quinta-feira (7) na WTM Londres, Inglaterra.

O chamado “turismo a mais” tem-se tornado assunto dos media nos tempos mais recentes, com testemunhos e imagens um pouco por todo o mundo de cidadãos em protesto contra a “invasão de turistas” e a expulsão dos locais pelos negócios turísticos.

“Gerir o número crescente de visitantes para muitos dos destinos populares do nosso planeta, incluindo cidades, é crucial tanto para a população local quanto para os visitantes, tanto internacionais como domésticos. O crescimento não é o inimigo”, afirma o secretário-geral da OMT, Taleb Rifai.

Esse crescimento que,  segundo aquele responsável, pode e deve levar “à prosperidade económica, empregos e recursos para financiar a proteção ambiental e a preservação cultural, bem como o desenvolvimento da comunidade e as necessidades de progresso, que de outro modo não estariam disponíveis”.

No entanto para que  turismo seja uma experiência enriquecedora para visitantes e população local, no entender de Rifai, exige políticas e práticas “fortes e sustentáveis” e com  o envolvimento de governos, privados, comunidades locais e turistas, realça.

A OMT recorda que mais de 1,2 mil milhões de turistas internacionais viajaram em 2016 e esse número deverá crescer para 1,8 mil milhões até 2030. O turismo gera 10% do produto interno bruto mundial, é responsável por um em cada 10 postos de trabalho e 30% do comércio mundial de serviços.

Fonte: A Nação

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa