Novo presidente da Cabo Verde Airlines diz que a empresa vai dar “atenção” ao mercado doméstico

A Loftleidir Cabo Verde assinou sexta-feira, 1 de Março, o contrato de privatização, após a venda de 51% das ações da TACV por 143 mil contos e sem passivos. Totalmente "limpa".

O novo presidente do Conselho de Administração da Cabo Verde Airlines, Jens Bjarnasson, acredita que em poucos anos Cabo Verde vai poder desenvolver o seu “hub” aéreo internacional, posicionando-se como ponto de conexão dos quatro continentes.

A convicção de Jens Bjarnasson, que é também vice-presidente da Loftleidir Icelandic, foi apresentada hoje em conversa com os jornalistas à saída de uma audiência com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, encontro que foi aproveitado para apresentar ao chefe de Estado o plano de negócios da empresa.

Conforme indicou trata-se de um negócio em que todos ganham.

“Penso que Cabo Verde tem a oportunidade de construir o seu “hub” aéreo internacional, podendo ser um modelo em África do Oeste de conexão dos quatro continentes – África, Europa, Ásia e América do Norte. Acreditamos que em pouco anos o plano pode crescer”, sustentou, adiantando que já este ano chegarão ao país quatro aviões.

A perspetiva confirmou, é que no horizonte de 2023 a empresa possa estar com 12 aviões para incrementar o projecto.

“Portanto, é uma grande oportunidade para os cabo-verdianos e para nós que gostaríamos de incrementar a nossa presença no mercado da aviação civil internacional. Temos sido bem-sucedidos no desenvolvimento do turismo num país pequeno, num mercado doméstico pequeno como a Islândia ligando a Europa à América do Norte e vemos muita semelhança com Cabo Verde”, salientou.

Questionado se a empresa está interessada nas ligações domésticas, Jens Bjarnasson adiantou que o mercado doméstico é “muito importante” pelo que avançou que é também algo que a empresa vai dar atenção.

“A infra-estrutura no Sal é a única para viabilizar um “hub” internacional, mas para que todos em Cabo Verde possam beneficiar desse desenvolvimento temos de ter boas conexões entre as ilhas e isso é, certamente, algo que devemos discutir com outros parceiros e ver como fazer da melhor maneira”, explicou.

A Loftleidir Cabo Verde assinou na sexta-feira, 1 de Março, o contrato de privatização, após a venda de 51% das ações da Transportadora Aérea Cabo-verdiana (TACV), no montante de 1,3 milhões de euros, conforme informou o Governo que avançou que, igualmente, serão injetados mais seis milhões de dólares (cerca de 580 mil contos) para a capitalização da empresa.

Fonte: A Nação

Notícias

Dia Nacional da Cultura comemorado sob o lema “eu_génio: do legado à ficção”

Governo prevê funcionamento da Universidade Técnica do Atlântico em 2020/2021

Santiago Norte: Municípios juntam-se ao MCIC para homenagear a Morna no Dia Nacional da Cultura e Comunidades

São Nicolau: Projecto Caminhar inicia acção de capacitação em acompanhantes de “trekking”

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis