“MEETUP TREKKING” São Nicolau: Descobrir a cultura e as vivências locais, caminhando

A ilha de São Nicolau acolhe entre 22 e 25 de Novembro, a primeira edição do “MEETUP TREKKING”. Os seus promotores, a Associação de Operadores Turísticos local e a Direcção Geral do Turismo, esperam 250 participantes, entre visitantes e residentes.

As caminhadas são cada vez mais procuradas por estrangeiros, sobretudo dos países nórdicos, mas também alemães e franceses e são o mote deste primeiro MEETUP TREKKING São Nicolau.

Arnaldo Felisberto, presidente da SN Turismo – Associação de Operadores Turísticos de São Nicolau – mostrou-se expectante ao A NAÇÃO, afirmando que o evento visa, entre outros objectivos, “colmatar a pouca divulgação” daquela ilha “como destino turístico”.

Este é, por isso, o primeiro evento da marca Walk It Saniclau, criada por aquela associação, precisamente para dinamizar o “potencial” das caminhadas e do trekking.

A marca tem como base projectar o futuro do turismo na ilha, através da valorização ambiental e cultural, e da utilização racional dos recursos enquanto destino sustentável, que apoia também a conservação do estilo e qualidade de vida da população.

Felisberto explica que a ideia é, com este primeiro MEETUP TREKKING, divulgar e promover o potencial de São Nicolau para o desenvolvimento do trekking enquanto produto turístico âncora da ilha.

“É uma oportunidade para experiências singulares através da prática da modalidade e para usufruir da cultura e do modo de vida das populações locais”.

Acessibilidades
Tendo em conta que os participantes internacionais organizam as suas viagens com um ano de antecedência, e o reduzido tempo de divulgação e promoção do evento, o nosso entrevistado revela que esta primeira edição será mais voltada para participantes nacionais, operadores turísticos de “incoming”, comunicação social e população local.

Felisberto não esconde, no entanto, a sua apreensão em relação à falta de acessibilidades para a ilha, o que pode vir a revelar-se um constrangimento, tendo em conta o número reduzido de voos para São Nicolau. 

“Precisamos encontrar uma forma de quebrar este ciclo vicioso – não ter voos por falta de passageiros, e não ter passageiros por falta de voos. Acreditamos que só estimulando o aumento da procura com eventos desta natureza, será possível criar condições para que no futuro este problema se venha a resolver”, defende.

250 participantes é a meta
Para já, a meta é alcançar 250 participantes entre visitantes e residentes.

“Serão maioritariamente nacionais e estrangeiros residentes em Cabo Verde”, revela. A associação espera assim que esta movimentação de pessoas na ilha venha a trazer mais valias para o turismo local, incluindo a nível do alojamento, transportes internos e restauração.

“A nossa expectativa é que o evento contribua para que São Nicolau venha a integrar os circuitos turísticos de trekking a nível internacional e, consequentemente, para o aumento do número de visitantes. Adicionalmente, esperamos com isso que a população local veja no turismo uma alternativa de criação de valor, geração de empregos e fixação da população, principalmente da camada jovem”, afirma.

Felisberto acredita ainda que este evento poderá servir como uma forma de sensibilizar os “actores públicos e privados” para a necessidade de maior investimento na valorização do destino e qualificação da oferta.

Natureza, gastronomia e música
O  programa de actividades dos quatro dias do encontro é vasto e será descentralizado aos dois municípios, Ribeira Brava e Tarrafal.

Além de caminhadas por trilhos que irão dar a conhecer a beleza da ilha, como o Parque Natural de Monte Gordo, o encontro prevê workshops e palestras de especialistas nacionais e estrangeiros sobre trekking e turismo, com enfoque na sustentabilidade ambiental e desenvolvimento local e desenvolvimento e promoção de produtos turísticos.

Aos debates junta-se ainda uma forte componente cultural, incluindo um “Bodje Rabeca” e degustação de produtos locais.

Segundo a organização, os participantes vão ter a possibilidade de poderem experimentar “ao vivo” a “fantástica” rede de trilhos pedestres da ilha, em particular da envolvente do Parque Natural de Monte Gordo, e manter contactos com as comunidades rurais ali existentes.

O programa encontra-se disponível na página oficial do Turismo de São Nicolau – https://www.facebook.com/Saniclau/ e cada inscrição, por pessoa, custa 500 escudos.

Além da Direcção Geral do Turismo, são ainda cofinanciadores do projecto as Câmaras Municipais da Ribeira Brava e do Tarrafal e a Cooperação Luxemburguesa.

Fonte: A Nação

Notícias

Cabo Verde e Holanda reforçam cooperação nas áreas do turismo, educação e segurança social

Porto Novo: Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável 2030 com um orçamento de 12 milhões de contos

São Domingos: Arqueólogos da Universidade de Cambridge fazem escavações em Alcatraz

Padre Constantina diz que reabilitação da igreja na Cidade Velha representa reconstrução da história do país

Santa Cruz: Programa Jov@Emprego realiza encontro com os setores privados de produção de “Banana e turismo rural”