Jorge Figueiredo acreditado como embaixador de Cabo Verde em Angola

O Presidente angolano, João Lourenço, acreditou hoje embaixadores de seis países, entre os quais de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, o primeiro acto do género desde que se tornou chefe de Estado, a 26 de Setembro.

Na cerimónia que teve hoje lugar no Palácio Presidencial, em Luanda, apresentou as cartas credenciais o novo embaixador Jorge Figueiredo, além dos representantes de São Tomé e Príncipe, Carlos dos Anjos, de Espanha, Manuel Ruigomez, da Rússia, Vladimir Tarorov, da República do Congo, Chryst Engobo, e da Nigéria, Adesesan Olatunde.

Em declarações à impressa, no final do acto, o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, destacou o facto de ter sido esta a primeira cerimónia de acreditação de embaixadores presidida por João Lourenço.

"Não deixa de ser um marco assinalável e é ainda mais importante, porque os países que fizeram parte desse primeiro grupo são cada um, por razões próprias, países muito especiais para Angola", referiu.

Sobre Cabo Verde, Manuel Augusto disse tratar-se de um "país irmão e companheiro de luta".

Também a Rússia mereceu realce, considerado por Manuel Augusto "um país que foi fundamental" para a preservação da independência e soberania de Angola.

Relativamente a Espanha, Manuel Augusto classificou como "um país amigo, muito amigo, e que foi determinante naquele período conturbado de 1992".

"(...) Esteve do nosso lado, do lado de Angola, do povo angolano, na formação, na assistência em vários domínios, nomeadamente nos domínios da segurança", acrescentou.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

IPC realiza primeiro mergulho em arqueologia subaquática no ancoradouro da Cidade Velha

Biblioteca Nacional lança reedição de “Chiquinho” e promete edição de seis obras por ano

NOSi poderá representar um suporte do desenvolvimento tecnológico para construção de uma sociedade digital no país – PR

Lançamento do projecto sobre a Promoção da Economia Azul reúne principais gestores da Economia Marítima

Mindelo: Atelier de lançamento do projecto sobre a Promoção da Economia Azul reúne principais “stakeholders” da Economia Marítima

São Vicente: Trinta formandos recebem certificados na área de guia de turismo comunitário

Santa Catarina: Assembleia Municipal com Ribeira da Barca na agenda

Santo Antão: Criação do Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Agrárias traz à ilha catedráticos de Portugal

Artistas da CPLP pedem "passaporte artístico"

Cabo Verde quer afirmar-se como plataforma tecnológica de referência em África

Novo presidente da AAVT quer transformar agências de viagens

Escavações arqueológicas na Igreja de São Tiago Maior concluídas

Empresários nacionais desafiam Portugal a deslocalizar empresas para Cabo Verde

AJEC propõe plataforma de informações sobre oportunidades de investimentos

Literatura: VIII Encontro de Escritores de Língua Portuguesa acontece de 19 a 21 de Abril na UNICV

Criada equipa que vai coordenar Zona Económica Especial

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

Empresa alemã introduz energia das ondas do mar em Cabo Verde

Santo Antão: Representante da OMS exorta Cabo Verde a preparar-se para enfrentar emergências sanitárias

Santo Antão: Fábrica de sabonetes abre portas no Porto Novo e já cogita exportar para os EUA

Praia: Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade vai ser património nacional – ministro

Ilha do Fogo: Técnicos de Monumentos e Sítios do IPC na região Fogo e Brava para inventariar património cultural imóvel

Emprofac prevê um crescimento de 7% em 2018

Regionalização: Olavo Correia reposiciona-se

Ampliar o mercado africano para os países africanos

PM espera consensos necessários entre os deputados para se avançar com a Regionalização

Directora regional da OMT recomenda diversificação dos modelos de oferta turística em Cabo Verde

Dia Mundial do Teatro: Mindelact distingue jornalista Fonseca Soares com Prémio de Mérito Teatral

Capacidade de alojamento em Cabo Verde aumentou em 18% em 2017 – INE

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo