Japão oferece a Cabo Verde três mil e 703 toneladas de arroz

Cabo Verde acaba de receber um donativo de três mil e 703 toneladas de arroz oferecido pelo Governo nipónico, no quadro da ajuda alimentar do Japão ao arquipélago.

De acordo com uma fonte da Agência de Regulação e Supervisão de Produtos Farmacêuticos e Alimentares (ARFA), entidade responsável pela gestão da ajuda alimentar no país, esta doação inclui três variedades de arroz, sendo mil e 851 toneladas de origem tailandesa, mil e 111 toneladas de origem japonesa e 741 toneladas de origem americana.

Dividido em seis lotes, o concurso para a alienação do donativo foi realizado, através de ato público, nas instalações da ARFA, e contou com a participação de três concorrentes, operadores comerciais, devidamente autorizados para o exercício da atividade de importador.

Em outubro do ano passado, os Governos de Cabo Verde e do Japão assinaram um acordo para a troca de notas, visando a concessão de uma assistência alimentar no valor de 180 milhões de ienes japoneses (aproximadamente 174 milhões de escudos) referente à Cooperação Financeira não-reembolsável nipónica.

Para fontes governamentais cabo-verdiana, esta assistência vai ter repercussão positiva a vários níveis, como na segurança alimentar, no apoio à balança de pagamentos e na criação de emprego, através dos fundos de contrapartida que financiam projetos no setor agrícola, em prol das camadas desfavorecidas, contribuindo para reduzir a pobreza no meio rural.

A cooperação entre o Japão e Cabo Verde, que datam desde os primórdios da independência do arquipélago, em 1975, vêm sendo fortalecida ao longo dos últimos anos.

E, para além da Assistência Alimentar, o Governo nipónico tem disponibilizado outras ajudas não reembolsáveis, para os setores de agricultura, pescas, telecomunicações, desporto, exploração e abastecimento de água, saúde, formação de quadros, transportes e infraestruturas, que visam sobretudo o combate à exclusão social e à redução da pobreza.

Fonte: Panapress

Notícias

Produtos hortícolas de Cabo Verde têm menos pesticidas do que os importados, explica director nacional do Ambiente

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG