Governo aprova privatização da companhia aérea cabo-verdiana

Cabo Verde aprovou, quinta-feira, o decreto-lei sobre a privatização do negócio internacional da transportadora aérea pública cabo-verdiana, TACV, que esta semana deixou de voar a nível doméstico.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros e da Defesa, Luís Filipe Tavares, as negociações (sobre a privatização) estão em fase final e remeteu mais informações para quando o decreto aprovado em Conselho de Ministros for publicado no Boletim Oficial.

Tavares lembrou que os ministros dos Transportes, Olavo Correia; e da Economia, José Gonçalves, que são os mandatários do Governo nesta operação, estão a preparar todo este processo e vão dar a conhecer os detalhes.

Dentro de pouco tempo, disse, serão conhecidos os resultados das negociações em curso, incluindo a situação dos trabalhadores, a questão da privatização, ou seja, as "soluções globais" para a situação da TACV.

Em recentes declarações à imprensa, o ministro Olavo Correia revelou que há vários interessados pelo negócio da TACV Internacional e que as negociações prosseguem para se encontrar um parceiro estratégico que assegure a gestão e parte do capital.

O ministro não avançou nomes das empresas com as quais o Governo está a negociar, mas salientou que a ideia é transformar o arquipélago num 'hub' [plataforma] de transportes aéreos no Atlântico médio.

O governante admitiu que o Estado cabo-verdiano venha a ter participação no capital da TACV Internacional, mas descartou a possiblidade de o Estado vir a injetar recursos para ter ações da empresa que resultar da privatização.

Entretanto, em declaraçõe quinta-feira à Rádio de Cabo Verde (RCV), o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, explicou que o “parceiro estratégico” neste negócio deverá ficar com 49% do capital social da TACV Internacional, num valor que rondará os 100 milhões de euros.

Os restantes 51% das ações da empresa ficarão provisoriamente nas mãos do Estado, que, posteriormente deverá cotá-los na Bolsa de Valores de Cabo Verde para efeitos de aquisição por parte do empresariado nacional.

Segundo ele, ao assumir a gestão da TACV Internacional, o “parceiro estratégico” que vier a ser escolhido reforçará a frota da transportadora aérea cabo-verdiana com aparelhos Boeing 757 e um 737, para cobrir as rotas de longo e médio curso.

A privatização do negócio internacional está enquadrada na reestruturação da companhia aérea pública cabo-verdiana, que deixou de operar a nível doméstico, tendo, a 01 de agosto, começado a funcionar o acordo com a Binter CV, que é, desde terça-feira, a única companhia a fazer os voos entre as ilhas cabo-verdianas.

No entanto, ainda não foram divulgados todos os pormenores de "um acordo de princípio" que o ministro das Finanças diz existir entre o Governo e a Binter CV para a transporadora garantir, em regime de exclusividade, as ligações aéreas entre as ilhas do arquipélago.

Ele prometeu  que, até final do ano, será assinado o contrato da Binter CV com o Estado de Cabo Verde, que passará a deter 49% da companhia, que tem atualmente como único acionista a empresa Apoyo Y Logistica Industrial Canária, Sociedade Limitada, sedeada nas ilhas Canárias.

Fonte: Panapress

Notícias

Primeira edição de Festival de curtas-metragens apresentada em Mindelo

Empresas alemãs procuram parceiros cabo-verdianos no sector do turismo e energias renováveis

Cabo Verde vai implementar em 2019 projecto subaquático “Margullar” – garante Jair Fernandes

Santa Catarina: Livro “Histórias da História de Santiago” vai ser apresentado quarta-feira em Assomada

Biosfera alerta para atentados à biodiversidade

Livre circulação no topo da agenda da Cimeira do Sal

Duas décadas de estabilidade e de credibilidade para a moeda cabo-verdiana

PR diz ser preciso acarinhar e preservar a língua portuguesa

IGRP Web do NOSi entre o TOP 50 de inovações em África

Cabo Verde e Brasil poderão colaborar a nível do turismo de aventura e comércio de vinhos

Tecnologias: Cinema da Praia recebe a 2ª edição do TEdx Praia

O turismo não pode estar de costas voltadas para as populações

Universidades cabo-verdianas ainda se assemelham aos liceus – reitor da Uni-Piaget

Ilha do Fogo: Universidade de Santiago promove a partir de sábado a IX edição do “Rotas do Arquipélago”

Santo Antão: Aumento do turismo trouxe novas oportunidades de negócios ainda pouco exploradas na ilha – Raízes

Ilha do Fogo: Empresários brasileiros na ilha para desenvolvimento de parcerias no sector do turismo rural

Cabo Verde não vai pedir assistência financeira ao FMI, afirma ministro das Finanças

Governo português analisa entrada da CGD no Fundo Soberano de Cabo Verde

Investigador defende que é necessário entender as reais necessidades da oceanografia costeira

Herança cultural da Europa vem da mistura da cultura com a África – Embaixadora da UE em Cabo Verde

Santiago Norte: Projecto-piloto propõe turismo sustentável que beneficie empresas locais e comunidade

Porto Novo: Fundo do Turismo recupera ex-edifício camarário para receber centro de interpretação turística

​Isenção total de vistos é objectivo comum, mas há muito caminho a percorrer

Cabo-verdianos não conseguem poupar e não querem comprar casa nem carro

Cabo Verde perde um milhão de turistas por falta de acessibilidades - FECAD

Oásis Atlântico lança projecto turístico no Tarrafal

Criada comissão conjunta para desenvolver projecto de Turismo Seguro para a ilha de Santiago

São Vicente/Economia Marítima: Técnicos chineses na ilha para planeamento da 1ª fase da Zona Especial

Santo Antão: Projecto Raízes concluí caracterização dos caminhos vicinais que vão formar rotas turísticas na ilha

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo