Fogo: Cerca de 110 mil contos dispensados aos municípios para o Turismo até 2021

O município de São Filipe vai receber a fatia maior, pouco mais de 40 mil contos, seguido de Santa Catarina do Fogo, com cerca de 36 mil contos e Mosteiros, com aproximadamente 32 mil contos

Os municípios do Fogo vão receber entre 2017-21 perto de 110 mil contos, no quadro do Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo para investimentos no sector, estando previsto para 2017 o montante de mais de mil e 500 contos.

O município de São Filipe vai receber a fatia maior, pouco mais de 40 mil contos, seguido de Santa Catarina do Fogo, com cerca de 36 mil contos e Mosteiros, com aproximadamente 32 mil contos para investimento em projectos municipais. Dados que constam da resolução do Conselho de Ministros número 107/2017 de 25 de Setembro,

De acordo com o documento, metade (50%) das receitas destinam-se a projectos de investimentos municipais nas áreas de regeneração, requalificação e reabilitação urbana e ambiental de cidades, vilas e localidades para as tornar atractivas do ponto de vista urbanístico, ambiental, social e cultural e dinamizar a economia local.

Quarenta e cinco por cento (%) destinam-se a financiamento de projectos de investimentos nas áreas de energia, acessibilidades, transportes inter-ilhas, saúde, segurança, reabilitação e melhoria de infra-estruturas turísticas nos municípios com limitada arrecadação de receitas turísticas.

As verbas destinam-se igualmente às áreas de requalificação ou restauro do património cultural, criação de museus e galerias de artes, eventos culturais e desportivas, capacitação e qualificação dos recursos humanos para os sectores da educação, do turismo e elaboração de planos de ordenamento de zonas turísticas.

Os outros cinco por cento para o desenvolvimento de marca Cabo Verde e à promoção internacional da imagem turística do país, sendo que estas duas partes ficam a cargo do Governo.

Fonte: A Nação

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa