FAO engajada na concretização da "economia azul" em Cabo Verde

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) em Cabo Verde comprometeu-se a continuar a apoiar os esforços do Governo cabo-verdiano para promover a "economia azul" no motor do crescimento económico do país,  apurou a PANA.

Este “apoio firme” da FAO foi garantida pelo seu representante em Cabo Verde, Nono Rémy, no ato de apresentação dum atelier de validação do plano de reconfiguração do setor marítimo cabo-verdiano, decorrido segunda e terça-feiras na cidade do Mindelo, na ilha de São Vicente.

Nono Rémy agradeceu ao Governo de Cabo Verde o fato de se ter associado à FAO na formulação do projeto de cooperação técnica de reforma do quadro institucional do Ministério da Economia e Emprego, visando preparar as instituições neste processo de ajuste e reforma para a transição para a economia azul.

“A FAO vai continuar a apoiar Cabo Verde firmemente nessa evolução colocando à sua disposição importantes recursos e especialistas seus nesta matéria”, precisou.

O representante da FAO mostrou-se ainda otimista quanto ao contributo deste projeto para uma “reforma institucional eficaz” a fim de que a transição aconteça e permita ao país continuar com um crescimento sustentável, capaz de “consolidar o desenvolvimento e o bem-estar” da sua comunidade.

Na sua intervenção no atelier, o ministro cabo-verdiano da Economia e do Emprego, José Gonçalves, defendeu a dinâmica que a Economia Azul, hoje implementado por todo o mundo, vai ao encontro do objetivo do Governo para a organização do setor que se quer com “maior eficiência e eficácia” e com “menos burocracia e custos de operação”.

O ministro apontou, assim, a feitura da lei orgânica do seu ministério e os projetos de implementação da Zona Económica Especial Marítima da China em Cabo Verde, a Escola do Mar e a reestruturação do setor dos transportes marítimos, como sinais de eficácia e eficiência que o Governo deseja introduzir no domínio da economia marítima.

A FAO lançou em 2013 a iniciativa Crescimento Azul que está, atualmente, sendo implementada em Cabo Verde. Trata-se de uma abordagem que fomenta a utilização eficaz dos recursos marinhos, minimizando a degradação do ambiente e a perda da biodiversidade e maximizando as vantagens económicas e sociais, como base para melhorar as condições de vida da comunidade.

O crescimento azul estimula ainda o desenvolvimento equilibrado das cadeias de valor, das atividades económicas ligadas ao mar, favorecendo a geração de rendimentos, a luta contra a pobreza, a segurança alimentar e nutricional e a prosperidade inclusiva.

Neste sentido, a economia azul abrange diversos setores com potenciais sinergias entre eles, mas requer um quadro jurídico regulamentar e institucional integrado para a sua implementação.

Fonte: Panapress

Notícias

Santa Catarina: Autarquia inaugura ligações domiciliárias de água em Rincão

Ex-PR de São Tomé e Cabo Verde já em Luanda para observação eleitoral

Santo Antão recebe programas Start-up jovem e Fomento ao micro empreendedorismo

Adilson Gomes vai ser o novo Diretor-Geral das Artes

DGTT apresenta em Setembro o plano estratégico para o turismo

Festival de Praia d´Tedja com aposta no nacional

Requalificação da Baía das Gatas vai criar condições para atrair mais turistas e emigrantes – Augusto Neves

Ex-PM cabo-verdiano chefia missão de observadores da UA para eleições em Angola

Governo pretende “ampliar” transportes aéreos com os Açores

Santo Antão: Sodesa pode avançar depois da revisão do quadro legal sobre criação de sociedades de desenvolvimento

Época alta do turismo: Santo Antão espera receber 20 mil turistas 05

São Vicente acolhe quarta edição Carnaval de verão

Governo aprova privatização da companhia aérea cabo-verdiana

Cabo Verde beneficia do programa para melhoria dos assentamentos informais