Escavações arqueológicas na Igreja de São Tiago Maior concluídas

Os técnicos envolvidos nas escavações arqueológicas na Igreja de São Tiago Maior, em Santa Cruz, constataram que na sua construção foi utilizado tijolo, cobertura de telha de meia cana, e que esta possuía um piso de terra abatida.

A informação foi avançada hoje em comunicado pelo Instituto do Património Cultural (IPC), com as conclusões das escavações arqueológicas realizadas na Igreja de São Tiago Maior, em Santa Cruz, cujos trabalhos iniciaram no dia 7 de Março.

Os trabalhos de escavações, que marcam a primeira fase do projecto de reabilitação da Igreja, enquadrada no plano nacional de reabilitação dos edifícios históricos, traçado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC), foram conduzidos por uma equipa técnica do IPC, em parceria com a Câmara Municipal de Santa Cruz e a Diocese de Santiago de Cabo Verde, coadjuvado pela arqueóloga portuguesa, Mariana Almeida.

A fonte do IP precisa que esta Igreja aquando da sua construção no século XVIII foi utilizado tijolo no paramento da parede e no arco de entrada, coberta de telha de meia cana, e possuía um piso de terra abatida.

“No decorrer das escavações, encontrou-se vestígios da existência de uma pequena capela no lado lateral, vestígios de argamassa azul, indicando que a mesma era pintada de azul, no seu interior. Uma capela construída possivelmente após a construção da Igreja Matriz”, aponta.

Além desses achados, foi encontrado ainda ossadas humanas, uma vez que o espaço serviu como cemitério até ser construído um espaço próprio, moedas de 1754 encontradas na sacristia, entre vários outros objectos.

O mesmo documento, informa igualmente que os técnicos contataram a existência de três fases de obras/intervenções na igreja, com a última apontando para o ano de 1930.

O presidente do Instituto do Património Cultural, Jair Fernandes, acompanhado do edil local, Carlos Silva, visitou as escavações para inteirar-se do resultado da mesma.

Na ocasião, Jair Fernandes reafirmou que há necessidade de uma “intervenção urgente” nas ruínas sob pena de não aguentarem a erosão e ainda garantiu que o instituto entregará em breve o projecto final de reabilitação do emblemático edifício.

Por seu turno, o edil Carlos Silva, afirmou que vão proceder à vedação do espaço de modo a evitar maior degradação e proporcionar maior segurança à população, visto a sensibilidade das ruínas, no momento.

Ainda, deixou o compromisso de pensar na requalificação da falésia e de toda orla marítima ao redor, sob pena de colocar em risco a existência da Igreja, nos próximos 30 anos.

De referir que o projecto de reabilitação da Igreja já possui financiamento para avançar com as primeiras intervenções, enquadrado no programa PRRA (Programa de Reabilitação Requalificação e Acessibilidade), financiado pelo Governo, no quadro do plano nacional de reabilitação dos edifícios históricos traçados pelo MCIC.

A reabilitação da Igreja de São Tiago Maior está inserida dentro do protocolo de colaboração e apoio cultural assinado entre o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas e a Câmara Municipal de Santa Cruz em Dezembro de 2017.

Com a reabilitação desta igreja, pretende-se valorizar todo o espaço circundante “respeitando o material da época, requalificando e criando uma nova praça, dando uma nova centralidade a esta região”, afirmou o ministro Abraão Vicente, aquando da sua visita às ruínas da Igreja.

Fonte: Terra Nova

Notícias

Primeira edição de Festival de curtas-metragens apresentada em Mindelo

Empresas alemãs procuram parceiros cabo-verdianos no sector do turismo e energias renováveis

Cabo Verde vai implementar em 2019 projecto subaquático “Margullar” – garante Jair Fernandes

Santa Catarina: Livro “Histórias da História de Santiago” vai ser apresentado quarta-feira em Assomada

Biosfera alerta para atentados à biodiversidade

Livre circulação no topo da agenda da Cimeira do Sal

Duas décadas de estabilidade e de credibilidade para a moeda cabo-verdiana

PR diz ser preciso acarinhar e preservar a língua portuguesa

IGRP Web do NOSi entre o TOP 50 de inovações em África

Cabo Verde e Brasil poderão colaborar a nível do turismo de aventura e comércio de vinhos

Tecnologias: Cinema da Praia recebe a 2ª edição do TEdx Praia

O turismo não pode estar de costas voltadas para as populações

Universidades cabo-verdianas ainda se assemelham aos liceus – reitor da Uni-Piaget

Ilha do Fogo: Universidade de Santiago promove a partir de sábado a IX edição do “Rotas do Arquipélago”

Santo Antão: Aumento do turismo trouxe novas oportunidades de negócios ainda pouco exploradas na ilha – Raízes

Ilha do Fogo: Empresários brasileiros na ilha para desenvolvimento de parcerias no sector do turismo rural

Cabo Verde não vai pedir assistência financeira ao FMI, afirma ministro das Finanças

Governo português analisa entrada da CGD no Fundo Soberano de Cabo Verde

Investigador defende que é necessário entender as reais necessidades da oceanografia costeira

Herança cultural da Europa vem da mistura da cultura com a África – Embaixadora da UE em Cabo Verde

Santiago Norte: Projecto-piloto propõe turismo sustentável que beneficie empresas locais e comunidade

Porto Novo: Fundo do Turismo recupera ex-edifício camarário para receber centro de interpretação turística

​Isenção total de vistos é objectivo comum, mas há muito caminho a percorrer

Cabo-verdianos não conseguem poupar e não querem comprar casa nem carro

Cabo Verde perde um milhão de turistas por falta de acessibilidades - FECAD

Oásis Atlântico lança projecto turístico no Tarrafal

Criada comissão conjunta para desenvolver projecto de Turismo Seguro para a ilha de Santiago

São Vicente/Economia Marítima: Técnicos chineses na ilha para planeamento da 1ª fase da Zona Especial

Santo Antão: Projecto Raízes concluí caracterização dos caminhos vicinais que vão formar rotas turísticas na ilha

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo