Dia Mundial do Teatro: Mindelact distingue jornalista Fonseca Soares com Prémio de Mérito Teatral

O jornalista e actor de teatro Fonseca Soares recebeu na noite de hoje o Prémio de Mérito Teatral`2018, um galardão com que, desde 1999, a Associação Mindelact distingue quem muito de si tenha dado ao teatro.

A decisão de distinguir José Eduardo Fonseca Soares com o Prémio de Mérito foi aprovada por unanimidade em assembleia-geral do Mindelact realizada em 17 de Março.

O jornalista confessou hoje que nunca lhe tinha passado pela cabeça vir um dia a ser distinguido com o prémio, tanto que se considera uma pessoa “tímida, não aberta”, às vezes “até tido como antipático”.

Mas “com as artes cénicas (…) o bichinho entrou (…) o gosto aprimorou-se”, tentou explicar Tchá, alcunha por que é conhecido Fonseca Soares, até desembocar hoje na distinção, “um incentivo para continuar”.

O presidente da Assembleia-Geral do Mindelact, José Betencourt, afirmou ter a “certeza que este dia singular ficará gravado na memória de José Fonseca Soares para o resto da sua vida”.

Actor e encenador, Fonseca Soares encontra-se ligado ao teatro há 44 anos, quando pela primeira vez pisou um palco, no caso, o do cinema Eden Park, no Mindelo.

Um dos fundadores da Associação Mindelact, Fonseca Soares foi durante muitos anos presidente da mesa da assembleia-geral.

Ao longo do seu percurso, o actor fez o oitavo curso de teatro do Centro Cultural Português, foi um dos fundadores do Atelier Teatrakácia, escreveu peças para o Grupo TIM (Teatro Infantil do Mindelo) e fez a sonoplastia de vários espetáculos e festivais de teatro.

Participou, sobretudo com o Grupo do Centro Cultural Português do Mindelo, em várias actuações, designadamente em peças como Rei Lear, Sete pecados capitais, Três irmãs, Mar Alto, Auto da Compadecida, No Inferno, Teorema do Silêncio, Tempestad, Invasão do Lixo, Linha de Pesca, Nôs água e Crónicas de Mindelo.

Fonte: InforPress

Notícias

Respostas rápidas: Quem deve pagar a Taxa de Segurança Aeroportuária?

São Vicente: Kiki Lima expõe “Real aparência” quando está prestes a completar 50 anos de pintura

Número de hóspedes aumentou 9,5% no segundo trimestre de 2018 face ao período homólogo – INE

Frescomar anuncia novos investimentos em São Vicente e no Sal de mais de seis milhões de euros

Direitos: Cabo Verde destaca em conferência no Canadá apoio do governo e instituições aos movimentos LGBTI

Santo Antão recebe três centros de interpretação turística para retratar património e identidade cultural da ilha

Raiz di Polon na 10ª edição do Festival de Teatro Lusófono

MCIC visita oficina de verão na Cesária Évora Academia de Artes

Filme cabo-verdiano “Firmeza” seleccionado para o Sacramento Underground Film & Arts Festival dos EUA

Filme “Os dois irmãos” selecionado para a competição oficial no 42º Festival de Cinema de Montreal/Canadá

Ilha do Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” define estratégias e cria comités municipais para implementação do modelo agro-turismo

Nosi e Cabo Verde TradeInvest na China para dar avanço ao projecto de Computação em Nuvem da África Ocidental

Reconhecimento internacional do vinho do Fogo é exemplo para produtores de grogue de Santo Antão

“Se Cabo Verde não é capaz de organizar um discurso histórico, alguém será capaz”

Cabo Verde conquista duas medalhas de ouro no concurso Mundial de Vinhos Extremos em Itália

Editorial: Estado da Nação em “gestão corrente”

Quem comprar a TACV assume a gestão por, pelo menos, 5 anos

Primeiro-ministro anuncia proposta da Icelandair para comprar TACV

Exportações aumentam 14% no 2º trimestre deste ano

Empresários desesperam pela mobilidade económica

Angola, Brasil e Moçambique têm total de 720 mil "escravos modernos". Cabo Verde também faz parte da lista

Suspensão levantada. Cabo Verde Airlines já pode voltar aos aeroportos italianos

Cabo Verde apresenta programa da presidência da CPLP

“Os alunos que só sabem crioulo, o resultado é o isolamento”

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo