Comissário Moedas em Cabo Verde a partir de quarta-feira

O comissário da União Europeia para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, inicia quarta-feira uma visita de três dias a Cabo Verde, onde assinará com o governo um documento que reconhece e estimula a investigação marinha e oceânica.

A visita de Carlos Moedas, acontece a convite do Primeiro-Ministro e vai decorrer nas ilhas de Santiago e São Vicente. 

Na quarta-feira, o comissário participará na abertura oficial do Seminário sobre o Horizonte 2020, na sede da delegação da União Europeia, na cidade da Praia, ilha de Santiago. Trata-se de um encontro que "visa capacitar investigadores cabo-verdianos para a participação em projetos europeus ligados à investigação", segundo informação da delegação da União Europeia em Cabo Verde. No mesmo dia, Carlos Moedas terá um encontro com o chefe de Governo, seguido de várias visitas a outros órgãos de soberania, instituições científicas e empresas tecnológicas. 

Na quinta-feira, já no Mindelo, ilha de São Vicente, o comissário português vai participar na conferência ministerial de alto nível "O nosso oceano atlântico para o crescimento e bem-estar". À margem deste evento, será assinado com o vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, um Documento Quadro para a Cooperação e Investigação Marinha. O documento "reconhece e estimula a investigação marinha e oceânica no contexto da cooperação com o Atlântico Sul".

No mesmo dia, e juntamente com o primeiro-ministro de Cabo Verde, Carlos Moedas irá participar na CV Next Initiative, na Praia de Laginha.

A visita do comissário coincide com a organização da Ocean Week, que começou ontem e se prolonga até sexta-feira.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Santiago e São Vicente acolhem festival de cinema itinerante de Língua Portuguesa

Milhares de garrafas recolhidas no fim de semana no areal de Santa Maria vão dar vida a azulejos

Empresa de Macau negocia instalação de polo tecnológico em Cabo Verde

Portugal e Cabo Verde unidos pela livre circulação esperam "boas notícias" na CPLP

Santo Antão: Operadores dizem-se “vítimas da concorrência desleal” do turismo residencial que começa a ser fomentado na ilha