Cabo Verde vai formar técnicos timorenses em segurança alimentar

Cabo Verde vai cooperar na formação de técnicos de segurança alimentar e fiscalização da atividades económicas de Timor-Leste, cuja autoridade de inspeção vai duplicar o número de funcionários em junho, foi hoje anunciado na cidade da Praia.

O anúncio foi feito pelo coordenador da Autoridade de Inspeção e Fiscalização das Atividades Económicas e de Segurança Alimentar de Timor-Leste (AIFAESA), Abílio Sereno, que lidera uma delegação timorense que hoje iniciou uma visita de dois dias a Cabo Verde.

Em declarações à imprensa, o responsável timorense disse que a visita a Cabo Verde tem como principal objetivo começar a elaborar um protocolo de cooperação com a Inspeção Geral das Atividades Económicas (IAGE) cabo-verdiana, para a formação de técnicos timorenses.

Com apenas dois anos de existência, Abílio Sereno avançou que a AIFAESA tem 62 funcionários, mas a partir de junho vai recrutar mais 60.

"Não vale a pena ter muitos funcionários, se as suas capacidades ainda estão aquém daquilo que eles devem saber. Por isso, queremos aproveitar a rica experiência da IGAE para receber mais e fazer mais e melhor em Timor-Leste, como tem feito em Cabo Verde", salientou.

O coordenador afirmou que os técnicos que serão formados em segurança alimentar e fiscalização de atividades económicas vão ter capacidades para trabalhar num laboratório próprio, que é a maior prioridade do país.

Além da cabo-verdiana IGAE, Abílio Sereno disse que outro dos parceiros da AIFAESA é a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) de Portugal.

O coordenador da AIFAESA explicou que a indústria timorense ainda é incipiente, sendo cerca de 80% dos produtos importados de países como Indonésia, Austrália e Singapura.

"É por isso que temos de estar preparados e capacitar os nossos técnicos de laboratório para poder garantir segurança alimentar à população de Timor-Leste", frisou Abílio Sereno, que lidera a equipa composta pelo coordenador, Joanico da Costa Soares, e pelo diretor da Administração e Finanças, Gabriel da Costa.

O inspetor-geral das atividades económicas de Cabo Verde, Elisângelo Monteiro, disse que o protocolo pretenderá dotar as instituições de capacidades para um melhor desempenho em matéria de segurança alimentar e fiscalização económica.

"Cabo Verde e Timor-Leste têm um desafio importante, que é assegurar o consumo seguro. Há nos dois países a questão do turismo, o que significa gente com alto padrão de consumo, e nós temos de estar preparados para poder explorar esse padrão de consumo, para podermos ter a contribuição do turismo, sobretudo de uma forma muito mais acentuada no processo de desenvolvimento", frisou o dirigente cabo-verdiano.

Além de preparar o protocolo e de definir uma data para a sua assinatura, a IAGE e a AIFAESA vão abordar os desafios do Fórum das Inspeções de SegurançaAlimentare das Atividades Económicas (FISAAE), uma plataforma que congrega todos os serviços da inspeção da segurança alimentar e das atividades económicas da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) e que é atualmente presidida por Timor-Leste.

Fonte: Sapo CV

Notícias

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”

Dia Nacional da Cultura comemorado sob o lema “eu_génio: do legado à ficção”

Governo prevê funcionamento da Universidade Técnica do Atlântico em 2020/2021

Santiago Norte: Municípios juntam-se ao MCIC para homenagear a Morna no Dia Nacional da Cultura e Comunidades