Cabo Verde envia docentes para lecionar em Timor-Leste

Docentes cabo-verdianos vão dar aulas Timor-Leste no âmbito de um acorde de cooperação a ser assinado entre os governos dos dois países, anunciou terça-feira a ministra cabo-verdiana da Educação e Inclusão Social, Maritza Rosabal.

Neste preciso momento, as partes estão a analisar questões técnicas relacionadas com este tipo de cooperação, anunciou a governante, no final de um encontro de trabalho com o seu homólogo de Timor-Leste, António da Conceição, que está no arquipélago cabo-verdiano para uma visita de quatro dias.

Maritza Rosabal disse que, com este acordo de cooperação, Cabo Verde compromete-se a fazer concursos públicos para o envio de docentes de língua portuguesa e de outras áreas afins a Timor Leste com o intuito de ajudar esse país no processo de reforço da língua portuguesa.

A ministra precisou que se está já a trabalhar de modo a criar condições técnicas para que, até janeiro de 2018, possa estar tudo definido para a contratação de 16 Cabo-verdianos.

Falando do seu encontro com António da Conceição, a responsável disse ainda que o mesmo serviu também para as duas partes analisarem novas áreas de cooperação bilateral, informando que 43 estudantes timorenses vão frequentar no decurso deste ano universidades cabo-verdianas.

Por sua vez, o ministro do Estado, coordenador dos Assuntos Sociais e da Educação de Timor Leste assegurou que o seu país quer beber da experiência de Cabo Verde a nível da língua portuguesa, uma vez que o seu país enfrenta problemas neste domínio.

Disse que transcorridos 14 anos depois da independência, o setor da educação em Timor Leste está em via de desenvolvimento, com infraestruturas em todo o território, com 11 instituições de ensino superior, sendo apenas uma pública, e o acesso gratuito à educação.

António da Conceição agradeceu o apoio do arquipélago ao seu país nos últimos anos e a disponibilidade de 43 vagas para estudantes timorenses que este ano vão frequentar universidades cabo-verdianas.

“Pretendemos ver ainda qual é a possibilidade de mantermos esta cooperação sobretudo na área da educação, de modo a explorar uma nova implementação dos acordos existentes entre os dois países, uma vez que estamos a precisar dum apoio de professores cabo-verdianos”, referiu o governante.

Sublinhou que a ideia passa também por reforçar a formação dos professores timorenses para que possam dar continuidade no ensino do português nas escolas do ensino de base e secundário.

Fonte: Panapress

Notícias

Fogo: Cidade de São Filipe passa a dispor a partir de sábado de mais uma unidade hoteleira

Cabo Verde acolhe workshop regional sobre segurança na aviação civil

Estudo diz que Cabo Verde fez progressos “impressionantes” em matéria de inovação

Mosteiros: Presidente da Câmara desafiou os produtores a consciencializarem-se da necessidade da massificação da cultura do café

FECAD promove formação em turismo inclusivo