Cabo Verde apresenta programa da presidência da CPLP

O programa bienal da presidência de Cabo Verde da CPLP coloca foco nas pessoas, na cultura e nos oceanos. As linhas orientadoras foram conhecidas esta quarta-feira.

O documento, apresentado hoje durante a XII conferência dos chefes de Estado e de Governo, que termina esta tarde, na ilha do Sal, está alinhado com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que vem da presidência do Brasil, e a cooperação económica e empresarial que vem da presidência de Timor-Leste.

O programa foi apresentado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que especifica os principais eixos da presidência, a começar pelas pessoas.

“Falar de pessoas é falar de cidadania e ela só se poderá materializar com a livre circulação. É através das pessoas que circula a cultura, o empreendedorismo, a inovação, a investigação, a ciência, o conhecimento, o turismo, e outras actividades económicas. Com a livre circulação e a mobilidade, para além de dar conteúdo a cidadania lusófona, criam-se condições para uma maior mobilidade e cultura entre nós, do conhecimento, da inovação e da economia com impactos no nosso desenvolvimento”, explica. 

O segundo eixo é a cultura. O Governo defende que a cultura deve destacar-se na CPLP como um recurso estratégico, de modo a explorar todas as suas potencialidades e orientá-las para o desenvolvimento.

Para tal, o país já definiu três pilares fundamentais.

“O primeiro pilar: uma política assertiva para a Língua Portuguesa visando o reforço do seu papel agregador no seio da CPLP, a sua promoção e difusão como património comum e o reforço da sua internacionalização". 

"Segundo pilar: criar um mercado comum das artes, da cultura e das indústrias criativas, com princípio e regras comuns, com previsibilidade e segurança nas relações”, aponta.

“O terceiro pilar – o desenvolvimento institucional – neste sentido temos que dar ao Instituto da Língua Portuguesa o enfoque que merece no que respeita à cultura e à Língua Portuguesa. Para isso é preciso assumir o ILP e assegurar as condições para a sua existência”, acrescenta. 

Em relação aos oceanos, Correia e Silva realça que a economia azul, ambiente e energias renováveis são fundamentais para e constituem uma oportunidade para aumentar o crescimento económico e suportar o desenvolvimento inclusivo e sustentável dos países da CPLP. Neste sentido, Cabo Verde já tem uma estratégia política concertada para os oceanos.

“[Uma estratégia] que contemple a gestão sustentável dos recursos, a investigação aplicada, a formação e o desenvolvimento institucional e das competências, o empreendedorismo e investimento, a prevenção da poluição marinha e a segurança marítima", enumera.

A presidência de Cabo Verde da CPLP promete ainda dar particular atenção a cooperação económica e empresarial. Aqui, a prioridade, segundo o Governo, passa pela criação de um ambiente de negócios favorável ao investimento no mercado da lusofonia, alicerçado nos acordos multilaterais entre os estados-membros para evitar a dupla tributação de rendimentos e para a protecção recíproca de investimentos.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Respostas rápidas: Quem deve pagar a Taxa de Segurança Aeroportuária?

São Vicente: Kiki Lima expõe “Real aparência” quando está prestes a completar 50 anos de pintura

Número de hóspedes aumentou 9,5% no segundo trimestre de 2018 face ao período homólogo – INE

Frescomar anuncia novos investimentos em São Vicente e no Sal de mais de seis milhões de euros

Direitos: Cabo Verde destaca em conferência no Canadá apoio do governo e instituições aos movimentos LGBTI

Santo Antão recebe três centros de interpretação turística para retratar património e identidade cultural da ilha

Raiz di Polon na 10ª edição do Festival de Teatro Lusófono

MCIC visita oficina de verão na Cesária Évora Academia de Artes

Filme cabo-verdiano “Firmeza” seleccionado para o Sacramento Underground Film & Arts Festival dos EUA

Filme “Os dois irmãos” selecionado para a competição oficial no 42º Festival de Cinema de Montreal/Canadá

Ilha do Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” define estratégias e cria comités municipais para implementação do modelo agro-turismo

Nosi e Cabo Verde TradeInvest na China para dar avanço ao projecto de Computação em Nuvem da África Ocidental

Reconhecimento internacional do vinho do Fogo é exemplo para produtores de grogue de Santo Antão

“Se Cabo Verde não é capaz de organizar um discurso histórico, alguém será capaz”

Cabo Verde conquista duas medalhas de ouro no concurso Mundial de Vinhos Extremos em Itália

Editorial: Estado da Nação em “gestão corrente”

Quem comprar a TACV assume a gestão por, pelo menos, 5 anos

Primeiro-ministro anuncia proposta da Icelandair para comprar TACV

Exportações aumentam 14% no 2º trimestre deste ano

Empresários desesperam pela mobilidade económica

Angola, Brasil e Moçambique têm total de 720 mil "escravos modernos". Cabo Verde também faz parte da lista

Suspensão levantada. Cabo Verde Airlines já pode voltar aos aeroportos italianos

Cabo Verde apresenta programa da presidência da CPLP

“Os alunos que só sabem crioulo, o resultado é o isolamento”

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo