​Cabo Verde Ocean Week orçada em 28 mil contos

A “Cabo Verde Ocean Week” (CVOW), que acontece de 19 a 23 de Novembro, em São Vicente, está orçada em 28 mil contos. “O grosso” do montante é financiado pela União Europeia, parceira do evento, anunciou o Governo.

A informação foi avançada na tarde desta terça-feira, pelo presidente da comissão organizadora, Ildo Rocha, durante a conferência de imprensa de apresentação da Ocean Week. O responsável afirma que se trata de um investimento que, durante cinco dias vai dinamizar a economia local.

“O grosso daquilo que se vai gastar vem da União Europeia. Temos empresas locais a colaborar connosco, temos o próprio Governo e do ministério da Economia Marítima, em particular, também com a sua quota-parte. Nós vemos esse orçamento como um investimento, tendo em conta as atividades que nós vamos ter, principalmente na parte de pesquisa, workshops e outras atividades que irão ter retorno não somente para o evento em si, mas também para todos os participantes”, explica.

Conferências ministeriais de alto nível com presença de entidades de países que lideram a economia azul, como as Seychelles, entre vários outros parceiros de África, Macaronésia e Europa, fazem parte daquele que já é considerado o maior evento sobre o mar realizado no Atlântico Médio. O representante das Seychelles nas Nações Unidas é o conferencista principal, segundo o secretário-executivo da CVOW, Marco Silva.

“As Ilhas Seychelles são um dos principais países e modelos da Economia Azul e de crescimento azul a nível mundial, e principalmente dos pequenos estados insulares. É um modelo e nós queremos trazer, a experiência de Seychelles, principalmente uma pessoa com tanta experiência para ser o conferencista principal”, diz.

A “Cabo Verde Ocean Week” engloba vários eventos, com destaque para uma conferência ministerial com a presença de todos os países da Comissão Sub-regional de Pescas (CSRP), uma conferência de Economia Azul, da CV Next e do “Our Atlantic Ocean for Growth”, organizado pela União Europeia e pelo centro GEOMAR. Isto além de um leque de atividades culturais, comunitárias e desportivas, que servem de lançamento dos Jogos Africanos de Praia que acontecem na ilha do Sal, no próximo ano.

No final, de acordo com o presidente da comissão organizadora, devem sair várias declarações e uma resolução relacionada com a Economia azul.

“Naturalmente que vai sair uma resolução mesmo a nível ministerial, haverá uma declaração dos ministros da CPLP, dos ministros da nossa Costa ocidental Africana relacionada com a economia azul, haverá resolução das grandes decisões e resultados de cada conferência, de cada painel”, afirma.

O evento vai acontecer em vários pontos da cidade do Mindelo, sendo que as conferências ministeriais, nomeadamente os encontros da CPLP da CSRP, decorrerão no auditório da Câmara de Comércio.

Os painéis e as palestras vão decorrer no auditório Onésimo Silveira, na Universidade do Mindelo. Outras atividades têm como palco as salas de formação da Câmara de Comércio, INDP, Centro Oceanográfico e dentro das universidades.

Através do teatro, da preservação ambiental, e como forma de sensibilização das camadas mais jovens, a CVOW vai decorrer também nas escolas primárias das comunidades piscatórias, além de atividades na Laginha.

O objetivo da Cabo Verde Ocean Week é elevar a consciencialização e fomentar o diálogo sobre a essência, a importância e a sustentabilidade dos Oceanos, visando criar uma cultura voltada para preservação e conservação da saúde do mar e explorar de forma sustentável os recursos marinhos nos mares sob a jurisdição de Cabo Verde.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Santiago e São Vicente acolhem festival de cinema itinerante de Língua Portuguesa

Milhares de garrafas recolhidas no fim de semana no areal de Santa Maria vão dar vida a azulejos

Empresa de Macau negocia instalação de polo tecnológico em Cabo Verde

Portugal e Cabo Verde unidos pela livre circulação esperam "boas notícias" na CPLP

Santo Antão: Operadores dizem-se “vítimas da concorrência desleal” do turismo residencial que começa a ser fomentado na ilha