São Vicente acolhe 3ª mesa redonda sobre turismo urbano, cultural e náutico

É já esta quinta-feira,30, prolongado-se até o dia 31 deste mês, que acontece a 3ª mesa redonda sobre “turismo urbano, cultural e náutico”, em Mindelo, São Vicente. Patrocinado pelo Governo de Cabo Verde, através do Ministério da Economia e Emprego e da Direcção Geral do Turismo e Transportes, conta com a pereceria da Câmara Municipal de São Vicente e da Câmara do Turismo de Cabo Verde. Tem por fim analisar - junto das Câmaras municipais, instituições ligadas ao turismo, investidores e operadores locais -, propostas de solução para o desenvolvimento futuro, nos sectores de infra-estruturas, planeamento, requalificação urbana, segurança, saúde, saneamento, energia, água e educação.

A organização desta mesa redonda terá três painéis temáticos, com foco nas oportunidades e nos desafios para a construção de um turismo urbano e cultural rentável e sustentável, nas propostas para o desenvolvimento do turismo náutico em Cabo Verde e nas formas de financiamento do turismo e da participação da classe empresarial nacional.

Irlando Ferreira (Ministério da Cultura), César Freitas (Ordem dos Arquitectos), Linda Pereira (CPL Events), Jorge Maurício (Enapor), Silvestre Évora (ordem dos Advogados), Jean Yves Audrain (ECOPLAGE), Paulino Dias (PD Consult Lda), José Almada Dias (Empresário) e Carlos Baessa Chaves (BAI Cabo Verde), são os principais oradores desta terceira mesa redonda. Acomtece depois da realiza na Boa Vista, em janeiro, que tratou do turismo dedicada ao segmento sol e praia, e a de Santo Antão, que incidiu sobre o turismo rural e de natureza.

Para a organização do evento, a escolha de São Vicente para esta mesa redonda tem a ver com as suas características de ilha urbana, “com um cosmopolitismo que lhe advém da sua tradição de cidade-porto, com forte ligação ao mundo e à economia marítima”

Entende o Ministério da Economia e Emprego que são necessários muitos desafios para que Cabo verde tenha um turismo sustentável, equilibrado, inclusivo e que vá de encontro às gerações vindouras. “É já consensual que o turismo deverá ser o pilar do desenvolvimento económico de Cabo Verde e, neste momento, todas as ilhas e concelhos ambicionam ter o seu quinhão desta actividade transversal que arrasta toda a comunidade”, refere-se.

Como resultados desta mesa redonda, o Ministério da Economia e do Emprego espera recolher subsídios necessários que orientem o desenvolvimento do turismo nacional e encontrar um ponto de equilíbrio na relação deste sector com o meio ambiente e com o património histórico material e imaterial, “de modo que a atractividade dos recursos naturais não sejam a causa da sua degradação a nível do país”.

Fonte: A Semana

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa