São Vicente: “Diplomacia gastronómica” como pedra de toque da VI edição do Kavala Fresk Feastival

Os organizadores da VI edição do Kavala Fresk Feastival, este ano no dia 14 de Julho, no Mindelo, apostam na “diplomacia gastronómica” como “grande destaque” de 2018, sendo novidade a presença de chefs de Macau, Marrocos e Índia.

Em conferência de imprensa na tarde de hoje, no Mindelo, Josina Freitas, da Mariventos, organizadora do certame, explicou que após a “aposta ganha” na internacionalização, em 2017, este ano vigora a “diplomacia gastronómica”, uma forma de intercâmbio entre chefs de Cabo Verde e de outras regiões do mundo.

Ou seja, no dia 12 de Julho, os chefs de Marrocos, Índia e Macau vão trabalhar o peixe num restaurante do Mindelo, ao lado de chefs locais, em simultâneo, enquanto estes vão se ocupar da doçaria local, numa iniciativa aberta ao público.

“Em seis anos abraçamos nove países em vários continentes”, lembrou a mesma fonte, fazendo jus, ajuntou, aos objectivos do certame de criar um produto gerador de rendimento, consolidando São Vicente como um destino turístico e promovendo a gastronomia como produto cultural e turístico.

Este ano, como novidade, Josina Freitas confirmou a presença da cantora de jazz Kavita Sha que, ao lado do guitaristas Bau, será protagonista no “kavala na mei de mar”, um passeio de barco na baía do Porto Grande com música ao vivo.

Relativamente ao número de restaurantes, a quem Josina Freitas pede “mais criatividade” na elaboração dos menus com a rainha kavala, este ano entram mais quatro em relação ao ano passado, perfazendo um total de 51.

“Nesta VI edição, Kavala Fresk Feastival já é considerado o maior evento gastronómico da Costa de África”, lançou Josina Freitas, que distribui os louros por essa conquista pela população, parceiros e comunicação social.

Na conferência de imprensa de hoje, presenciada pelo secretário de Estado Adjunto da Economia Marítima, Paulo Veiga, interveio ainda o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, para quem eventos culturais da dimensão do Kavala Fres Feastival têm tido o condão de “sustentar” a ilha.

Por isso, sendo o festival um “evento internacional que dignifica São Vicente”, di-lo o edil, a câmara “vai continuar a apostar” no Kavala Fres Feastival para “trazer mais investimentos” para a ilha.

“Prometemos continuar a apoiar iniciativas deste género, pois a câmara é sempre amiga quando as coisas são bem-feitas”, sintetizou Augusto Neves.

Dados avançados pela organização indicam que, em 2017, 41 mil pessoas passaram pela Avenida Marginal durante o dia do Kavala Fresk Feastival, que envolveu ainda 32 músicos, dois DJ, 56 performers, 47 restaurantes, sete passeios de bote e 23 modelos, para um staff de 80 pessoas.

Na 1ª edição, realizada em Julho de 2013, a organização estimou que mais de 10 mil pessoas passaram pelo roteiro gastronómico da Avenida Marginal, e consumiram cerca de 3000 quilogramas de cavala, altura em que o evento foi distinguido com o Green Project Awards, na categoria de Iniciativa de Mobilização.

Em Outubro de 2014, a Mariventos, organizadora do festival, marcou presença no Slow Food International, em Milão, Itália, e mais tarde participou na mostra “Peixe em Lisboa”, da Docapesca, Portos e Lotas, em Lisboa, Portugal.

Fonte: InforPress

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis