São Lourenço dos Órgãos: Comunidade de Pico de Antónia quer “manter vivo” o tradicional almoço de Cinzas

A comunidade de Pico de Antónia em parceria com a Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos promove hoje o tradicional almoço de Cinzas, com o intuito de manter viva esta manifestação cultural da ilha de Santiago.

Em declarações, o presidente da câmara municipal, Carlos Vasconcelos disse que a edilidade em parceria com a população vem “revitalizando” esta manifestação cultural da ilha de Santiago, com a realização todos os anos de uma feira de Cinzas a condizer com o tradicional almoço que a cada ano é levada a uma localidade do concelho.

De acordo com o autarca, além do tradicional almoço que reúne pessoas de várias localidades do concelho e não só, terão ainda actividades culturais e desportivas.

Numa mesa “farta” predomina um prato à base de xerém, coco, feijão, em forma de “trutxida”, peixe seco, cozido entre outros e cuscuz com mel como sobremesa.

No dia de Cinzas, segundo os religiosos, a igreja recomenda não só a abstinência de carne como também jejum.

Entretanto, em Cabo Verde mormente no interior da ilha de Santiago, muitas pessoas se deixam levar pela tradição cultural e as residências são recheadas de pratos tradicionais.

Entretanto, a reportagem da Inforpress apurou que os ingredientes para a preparação do tradicional almoço de Cinzas estão este ano a um preço mais elevado em relação ao ano anterior.É que o período de cinzas constitui também uma excelente oportunidade de negócio que envolve operadores ligados tanto à agricultura como à pesca.

Essa constatação era notória ao se visitar a feira de cinzas realizada à laia de todos os anos em São Jorge dos Órgãos, onde se encontravam expostos em grande quantidade para comercialização, todos os produtos necessários para a confeção do tradicional almoço de cinzas.

Fonte: InforPress

Notícias

Miradouros de Porto Novo prontos para receber turistas

6º Festival do Café do Fogo marcado para 12, 13 e 14 de Abril

Sal: Jogos Africanos de Praia vão ser uma “excelente” oportunidade para mostrar a cultura cabo-verdiana – director-geral Cultura

As mil cores da “nova” Achada Grande Frente

Santa Catarina: Governo e edilidade querem transformar Ribeira da Barca num pólo de desenvolvimento turístico