Santo Antão: Operadores voltam a mostrar preocupação quanto à implementação da Rota das Aldeias Rurais

Os operadores turísticos em Santo Antão, beneficiários do projecto Rota das Aldeias Rurais, voltaram hoje a manifestar a sua preocupação face à “demora”, por parte da associação dos municípios desta ilha, em operacionalizar este projecto, lançado há dois anos.

Os operadores dizem “preocupados” com a forma como a Associação dos Municípios de Santo Antão (AMSA) tem estado a conduzir o processo de implementação deste projecto, lembrando que esta associação tinha prometido, em Dezembro, encontrar-se com os beneficiários da Rota das Aldeias Rurais, encontro esse que “nunca foi marcado”, segundo Jorge do Rosário, porta-voz dos operadores.

Jorge do Rosário, um dos 36 beneficiários do projecto, recordou que o presidente da AMSA, Orlando Delgado, tinha, há um mês, prometido promover um encontro com esses operadores, para articular formas de operacionalização Rota das Aldeias, mas “até esta data os operadores estão à espera, sem nenhuma informação”, avançou.

Adiantou que os operadores estão “descontentes” com a forma como a AMSA, responsável pela operacionalização do projecto, lançado em Janeiro d 2016, tem conduzido todo esse processo, criando, assim, “muita ansiedade” aos beneficiários.

Em Dezembro, aquando do desbloqueamento, por parte do Tesouro, de 30% do financiamento da Rota das Aldeias Rurais, financiado através do Fundo do Turismo, Orando Delgado informou que pretendia marcar um encontro com os operadores para se fazer “o trabalho de casa” e criar as condições para arranque, agora em Janeiro, do projecto.

“Até agora não tivemos qualquer informação a respeito”, lamentou este operador.

O Governo de Cabo Verde assinou, em Junho de 2017, um contrato-programa com a AMSA, no montante de quase 53 mil contos (60% do valor total dos investimentos), para a execução do projecto da Rota das Aldeias Rurais de Santo Antão, que resultou do inventário dos recursos turísticos existentes nesta ilha.

O projecto visa, sobretudo, a diversificação e qualificação do produto turístico desta ilha com a construção e melhoria de 36 empreendimentos de acolhimentos de turistas (12 em cada município).

Porém, o presidente da AMSA admite que “grande parte” dos operadores contemplados “não tem ainda um projecto devidamente elaborado”, um dos requisitos exigidos pelo Governo e pelo Tribunal de Contas “que terá que ser cumprido”.

“A maior parte dos projectos não existe. Era apenas uma folha de papel (ficha de projecto). Não existe estudo de viabilidade, projecto de arquitectura, cálculo de estabilidade, orçamento”, explicou Orlando Delgado, informando que a lei exige que “os projectos sejam devidamente elaborados”, já que todas as contas vão ser auditadas.

Fonte: InforPress

Notícias

Respostas rápidas: Quem deve pagar a Taxa de Segurança Aeroportuária?

São Vicente: Kiki Lima expõe “Real aparência” quando está prestes a completar 50 anos de pintura

Número de hóspedes aumentou 9,5% no segundo trimestre de 2018 face ao período homólogo – INE

Frescomar anuncia novos investimentos em São Vicente e no Sal de mais de seis milhões de euros

Direitos: Cabo Verde destaca em conferência no Canadá apoio do governo e instituições aos movimentos LGBTI

Santo Antão recebe três centros de interpretação turística para retratar património e identidade cultural da ilha

Raiz di Polon na 10ª edição do Festival de Teatro Lusófono

MCIC visita oficina de verão na Cesária Évora Academia de Artes

Filme cabo-verdiano “Firmeza” seleccionado para o Sacramento Underground Film & Arts Festival dos EUA

Filme “Os dois irmãos” selecionado para a competição oficial no 42º Festival de Cinema de Montreal/Canadá

Ilha do Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” define estratégias e cria comités municipais para implementação do modelo agro-turismo

Nosi e Cabo Verde TradeInvest na China para dar avanço ao projecto de Computação em Nuvem da África Ocidental

Reconhecimento internacional do vinho do Fogo é exemplo para produtores de grogue de Santo Antão

“Se Cabo Verde não é capaz de organizar um discurso histórico, alguém será capaz”

Cabo Verde conquista duas medalhas de ouro no concurso Mundial de Vinhos Extremos em Itália

Editorial: Estado da Nação em “gestão corrente”

Quem comprar a TACV assume a gestão por, pelo menos, 5 anos

Primeiro-ministro anuncia proposta da Icelandair para comprar TACV

Exportações aumentam 14% no 2º trimestre deste ano

Empresários desesperam pela mobilidade económica

Angola, Brasil e Moçambique têm total de 720 mil "escravos modernos". Cabo Verde também faz parte da lista

Suspensão levantada. Cabo Verde Airlines já pode voltar aos aeroportos italianos

Cabo Verde apresenta programa da presidência da CPLP

“Os alunos que só sabem crioulo, o resultado é o isolamento”

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo