Santo Antão: Doutoramento em turismo confirmado para Setembro no quadro do projeto Raízes

O arranque do doutoramento em turismo, que vai ser ministrado, durante três anos, pelo Instituto Superior das Ciências Económicas e Empresarias (ISCEE), em parceria com a Universidade do Algarve, Portugal, está confirmado para setembro.

Este doutoramento, o primeiro a ser realizando em Cabo Verde, e cujo despacho de acreditação foi emitido desde os finais de 2017, pela ministra da Educação, insere-se no âmbito do projeto das redes locais para o turismo sustentável e inclusivo em Santo Antão (Raízes), promovido pela Associação para a Defesa do Património de Mértola, Portugal.

O presidente da Associação para a Defesa do Património de Mértola, Jorge Revés, confirmou à imprensa o arranque, a partir de setembro, do doutoramento, informando que os interessados têm até finais de Junho para proceder às inscrições.

Também, no âmbito do projeto Raízes, cofinanciado pela União Europeia e o Instituto Camões (Portugal), foi concluído, este domingo, no Porto Novo, o curso de agentes de desenvolvimento em turismo, com participação de 22 jovens das ilhas de Santo Antão e São Nicolau.

A formação, homologada pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), decorria desde o mês de março, abrangendo uma componente teórica de 536 horas e ainda um período de formação prática em contexto de trabalho.

O projeto Raízes, que está a ser implementado em Santo Antão desde 2017, tem como objetivo promover o turismo sustentável como fator de geração de rendimentos e de melhoria das condições socioeconómicas das populações em Santo Antão.

Fonte: Sapo CV

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis