Santo Antão: ASA avança com estudos para construção do aeroporto que deverá custar 20 milhões de euros

A ASA (Empresa de Aeroportos e Segurança Aérea) tem orientações do Governo para avançar com todos os estudos necessários para a construção do aeroporto de Santo Antão, infra-estrutura que deverá rondar entre 18 a 20 milhões de euros.

A ASA (Empresa de Aeroportos e Segurança Aérea) tem orientações do Governo para avançar com todos os estudos necessários para a construção do aeroporto de Santo Antão, infra-estrutura que deverá rondar entre 18 a 20 milhões de euros.

As informações foram avançadas pelo técnico da ASA Nuno Santos, também assessor do ministro da Economia, que, este sábado, no Porto Novo, no final da mesa redonda sobre o turismo rural e de natureza, fez o ponto de situação sobre as diligências que estão a ser tomadas com vista à construção do futuro aeroporto de Santo Antão.

Segundo Nuno Santos, nesse âmbito, a ASA já fez deslocar a Santo Antão uma equipa pluridisciplinar que aferiu as condições que a ilha apresenta para ter um aeroporto, com uma pista até 2.500 metros de cumprimento.

Um estudo muito preliminar, efectuado em 2009, definiu Casa de Meio e Ribeira Torta, no Porto Novo, como as zonas com condições ideais para a construção do futuro aeroporto de Santo Antão.

A equipa pluridisciplinar chegou à conclusão de que Casa de Meio, que fica a sete quilómetros da cidade do Porto Novo, tem "excelentes condições" para a construção e viabilidade dessa infra-estrutura aeroportuária, dispondo de "uma extensa e excelente planície" que facilitará a edificação da pista.

"Chegamos à conclusão de que Casa de Meio apresenta as condições para a construção de um excelente aeroporto, com uma pista até 2.500 metros", avançou Nuno Santos, que integra a equipa da ASA, encarregue de preparar os estudos, a qual já definiu o seu plano de acção para os próximos anos.

Este técnico adiantou que o plano de acção prevê, ainda em 2017, a instalação de uma estação automática, que já está a ser adquirida, equipamento que passará a disponibilizar dados relativos à pressão do ar, temperatura, humidade do vento e precipitações.

Trata-se de informações que permitirão estudar os fenómenos no canal entre as ilhas de Santo Antão e São Vicente e para que se possa construir um aeroporto com as condições normais de navegabilidade, explicou.

Esses dados serão recolhidos num período mínimo de três anos, durante o qual "não é recomendável qualquer avanço" em termos de construção do aeroporto, que, segundo o ministro da Economia, José Gonçalves, poderá estar a ser lançado no final da presente Legislatura.

Enquanto isso, a ASA pretende avançar com o ante-projecto, plano director e estudos de impacto ambiental e económico-financeiro do aeroporto, além da definição das áreas de servidão e de protecção das operações.

Entretanto, empresários e autarcas em Santo Antão não vêem com bons olhos a construção do aeroporto em Casa de Meio, já que "pode matar" o crescimento urbanístico da cidade do Porto Novo, que se quer que venha, no futuro, a ser "um centro urbano de referência" em Santo Antão.

José Pedro Oliveira, operador no ramo turístico, exortou o Governo a ter "muito cuidado" na tomada de uma decisão sobre o aeroporto, considerando que a localização e a dimensão da pista são questões que precisam ser muito bem ponderadas, para se evitar aquilo que aconteceu com o porto do Porto Novo, em que se investiu cerca de 29 milhões de euros e "não temos porto".

O presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão, Orlando Delgado, partilha da opinião de que a construção do aeroporto em Casa de Meio bloqueará o crescimento da cidade do Porto Novo, pelo que se deve, a seu ver, reflectir muito sobre essa questão.

O aeroporto é "um sonho" dos santantonenses, mas o autarca defende mais discussão sobre a localização dessa infra-estrutura.

O ministro da Economia e Emprego, que está de visita a Santo Antão, admite que se faça mais reflexões sobre essa matéria, mas garante que a construção do aeroporto em Santo Antão é um compromisso já assumido pelo Governo.

Para já, é o objectivo do Governo "melhorar" os transporte alternativos (marítimos) para que Santo Antão, que aposta, cada vez mais, no turismo, esteja bem servida em termos de ligação, segundo José Gonçalves.

Santo Antão deixou de ter ligações aéreas a partir dos anos 90, quando o então aeródromo da Ponta do Sol, que tinha uma pista com apenas 650 metros de cumprimento, e sem possibilidades de ampliação, foi desactivado por razões de operacionalização.

Fonte: A Semana

Notícias

Ilha do Sal: Segunda edição do Festival Internacional de Literatura arranca esta quinta-feira com cerca de 40 escritores

MCIC apresenta I edição da “Viagem pela história” na Ribeira Grande de Santiago

Maio acolhe “Djarmai Campus-Summer School” em Agosto

Cabo Verde adere a convenções do conselho da Europa sobre proteção de dados e cibercriminalidade

Porto Novo: Operador estrangeiro confirma investimento de 70 mil contos no sector das pescas

O objectivo último é que Cabo Verde, um dia, deixe de precisar da cooperação para o desenvolvimento

Governo dos Açores confiante na cooperação entre ilhas da Macaronésia

Miguel Rosa: “É importante aprender com os erros” do Sal e Boa Vista

Grupo Rangel e Binter CV firmam acordo para o transporte de carga

Vice-Primeiro Ministro assina donativo de 10 milhões de euros com Fundo Orio para o Terminal de Cruzeiros do Mindelo

São Vicente: “Diplomacia gastronómica” como pedra de toque da VI edição do Kavala Fresk Feastival

Editores esperam que presidência da CPLP dinamize literatura e cultura lusófona

Cinquenta jovens iniciam formação em restauração e gestão de ordenamento hoteleiro na EHTCV

Pedro Lopes participa no primeiro programa da Fundação Obama em África Detalhes

Ministério da Cultura realiza 1º Fórum Nacional de Editores e Livreiros de Cabo Verde

“De uma forma geral, em termos de criação de emprego, o impacto do turismo é positivo” – José Gonçalvez

Cabo Verde quer reactivar ligações aéreas com São Tomé e Príncipe

Governo quer fazer deste arquipélago uma Nação “útil” ao mundo no Atlântico Médio

Há oportunidades, mas algum cuidado não faz mal a ninguém

Ministro José Gonçalves representa Cabo Verde na 61ª reunião da Comissão Regional da OMT para a África

Santo Antão: Estância turística de Passagem reaberta na próxima semana com inauguração das obras de reabilitação

Santo Antão: Operadores turísticos desejam criação de uma representação do Ministério do Turismo na ilha

Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” defende criação de órgãos permanentes de tutela e controlo da praia de Fonte Bila

Especialistas do Banco de Portugal não vêem vantagens na euroização da economia cabo-verdiana

Festival de Literatura-Mundo do Sal vai ter extensão em Lisboa este ano e perspectiva Brasil em 2019

Turistas gastam em média 4.518 escudos, por dia, em Cabo Verde

Ilha do Maio: Ministro José Gonçalves faz balanço positivo do encontro de alto nível sobre o turismo

Cabo Verde aproveita cimeira da Macaronésia para se afirmar como ponte entre Europa e África

José Gonçalves quer ilha do Maio com turismo "diferente e planeado"

Santo Antão recebe seminário internacional para debater o turismo ecológico

Agrupamentos competitivos de queijo do Fogo e Boa Vista de olhos no mercado turístico hoteleiro

Sector privado passa a gerir incubadoras de inovação

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo