Santiago Norte: Projecto-piloto propõe turismo sustentável que beneficie empresas locais e comunidade

Um turismo sustentável, inclusivo e que beneficie tanto os empreendimentos turísticos como as comunidades envolventes de São Salvador do Mundo e Santa Catarina (ilha de Santiago), é o que pretende o projecto-piloto “cases studies”.

O projecto-piloto de turismo sustentável que integra os dois “cases studies” do interior de Santiago, a Quinta da Vovó Joana em Picos e Pousada Bassoura em Santa Catarina, foi socializado hoje no município de São Salvador do Mundo, na presença do vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, autarcas dos dois municípios, membros do conselho directivo da Associação do Turismo de Santiago (ATS) e proprietários dos empreendimentos.

O projecto em apreço que partiu da iniciativa da ATS, segundo o seu presidente, Eugénio Inocêncio, é parte do turismo que definiram como “turismo sustentável”, que envolvem micro e pequenas empresas, “empresas famílias” e as médias e grandes empresas.

Conforme explicou o presidente da ATS, Eugénio Inocêncio, tendo em conta que as comunidades envolventes “não têm beneficiado do turismo”, pretendem com este projecto criar as condições para que “possam nascer” restaurantes, espaços de venda de produtos turísticos e quartos para hospedagem de turistas nestas localidades, o que passa pela conclusão das casas, iluminação pública e instalação de internet.

Nesse sentido, indicou que a ATS vai fazer convergir uma série de instrumentos já existentes quer do sector público ligado ao Governo, quer de privados e ou da cooperação internacional para que possam convergir cada um desses dois casos.

“Se estes dois projectos-pilotos funcionarem, e acreditamos que vão funcionar, serão multiplicados na ilha de Santiago e noutras ilhas com as devidas adaptações”, enfatizou.

Por sua vez, o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, que considerou “muito interessante” a iniciativa, disse que o Governo quer um turismo diversificado e sobretudo que tenha impacto na população, para que possam construir uma economia “inclusiva e sustentável”.

Já os proprietários dos dois “cases studies” Jorge Teixeira, da Quinta Vovó Joana e Júlia Furtado, da Pousada da Bassoura destacaram o facto do referido projecto beneficiar também toda a comunidade envolvente.

Por outro lado, enalteceram o facto de o projecto trazer um produto turístico “diferente” que vai vender para além de “praia e sol”, ou seja, vai vender o verdadeiro Cabo Verde que é suas gentes, cultura e paisagens.

Depois da socialização do projecto-piloto, os presentes visitaram os dois “cases studies” beneficiados, empreendimento de Pedro Tavares em Achada Leitão e Quintal Boavista em Nhagar, e ainda um beneficiado do projecto de Requalificação Urbana e Fomento Empresarial.

Fonte: InforPress

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa