Santiago Norte: Projecto capacita jovens para área do turismo com foco na conservação da biodiversidade

Cerca de 30 jovens de quatro zonas de amortecimento do Parque Natural de Serra Malagueta, na ilha de Santiago, iniciaram hoje uma formação de capacitação em turismo, com foco na conservação da biodiversidade.

A formação, que se enquadra no âmbito do projecto “Integração da conservação da biodiversidade no sector do turismo em sinergia com o reforço do Sistema Nacional de Áreas Protegidas de Cabo Verde”, executado pelo Ministério da Agricultura e Ambiente, em parceria com a Direcção Nacional do Ambiente, é financiada pelo Fundo Mundial para o Ambiente (GEF) e pelo programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD).

O curso com duração de um mês e que decorre nas instalações do Parque Natural de Serra Malagueta, terá o foco em algumas áreas ligadas ao turismo, nomeadamente, recepção e atendimento ao público, pequenos negócios e culinária, beneficiando cerca de 30 jovens, sobretudo, mulheres das comunidades de Txatxa , Gongon, Ribeira Cumprido e Serra.

Segundo o delegado do Ministério de Agricultura e Ambiente (MAA) de Tarrafal  e São Miguel, José Luís Martins, a ideia é integrar as actividades do turismo na conservação da biodiversidade, para que se possa ter um “turismo amigo do ambiente e ecológico”.

Tendo em conta, que nessas localidades existem casas antigas de alto valor patrimonial com cobertura de telhas francesas em que as famílias “estão mal preparadas” no que tange ao turismo e conservação do ambiente, acredita-se que estando munidos de conhecimentos as famílias vão poder ter algum rendimento através do turismo.

Do projecto consta ainda melhoramento de trilhos que serão devidamente sinalizados para garantir segurança aos turistas.

Na ocasião o delegado do MAA informou que posteriormente, em parceria com a edilidade micaelense, almejam melhorar o acesso local, um dos problemas dessas zonas rurais, principalmente em Txatxa e Gongon.

O projecto sobre conservação da biodiversidade tem com objectivo, integrar a conservação da biodiversidade no planeamento e nas operações de turismo a nível nacional e nas ilhas que mais se destacam (Santiago, Boa Vista, Sal e Maio) e expandir e fortalecer a prioridade costeira e marinha das áreas protegidas.

Fonte: InforPress

Notícias

Produtos hortícolas de Cabo Verde têm menos pesticidas do que os importados, explica director nacional do Ambiente

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG