Santiago, Fogo e Brava escolhidas para o levantamento “exaustivo” dos pontos de interesse turístico

“Há coisas a que não damos valor algum, mas para que os turistas têm um grande significado”

"Agora é hora de agir" afirmou Manuel Pina, presidente da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde, durante o ato de abertura de uma jornada de reflexão sobre as potencialidades turísticas de Cabo Verde.

Com as oportunidades já lançadas os municípios têm que “segurar bem e fazer as coisas acontecer” acrescenta o responsável da ANMCV.

De acordo com Manuel de Pina “todos os municípios vão ter que potencializar o desenvolvimento da cultura e fazer um casamento ideal entre a cultura e o turismo”, acrescentando que há que fazer uma promoção do sector em ordem a criar “oportunidades para as pessoas”.

Relativamente aos constrangimentos do turismo em Cabo Verde, reconheceu que prende-se com a “falta de ofertas” aos que procuram o pais para os seus momentos de lazer.

“Há coisas a que não damos valor algum, mas para que os turistas têm um grande significado”, frizou Manuel de Pina, sugerindo aos seus colegas autarcas que aproveitem os recursos que o Governo põe à disposição para criar “oportunidades e potencializar o desenvolvimento”.

Para o líder da ANMCV, o turismo de habitação é o mais indicado para os municípios, cujas localidades não dispõem de hotéis.

Fonte: Ocean Press

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis