Primeiro-Ministro coloca livro e literatura como "pilares importantes" da política cultural

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, afirmou quinta-feira, na cidade da Praia, que o livro e a literatura são “pilares importantes” na política cultural do Governo

A afirmação foi feita na cerimónia de abertura da IX edição do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, que este ano homenageia o escritor cabo-verdiano e Prémio Camões 2018, Germano Almeida.

Ulisses Correia e Silva enumerou alguns “investimentos que, para além das declarações é preciso concretizar”. Recordou depois que no espaço de três anos o Governo disponibilizou 33 mil livros às bibliotecas municipais dos 22 municípios do país.

“Este é um empreendimento com futuro garantido (…), estamos num momento global em que a propensão para a leitura tem correntes enormes, como a televisão e as redes sociais, e precisamos voltar aos livros e aos jornais, porque são insubstituíveis”, justificou.

Para o chefe do Governo, os investimentos a serem feitos nessa área têm que ganhar escala e dimensão a nível da formação de mediadores de leitura, com a republicação de clássicos da literatura, bem como a publicação de obras inéditas.

Ulisses Correia e Silva defende ainda uma aposta “forte” na língua portuguesa como um activo que serve de partilha na comunicação, na cultura e na economia.

Com o tema principal “A Literatura Infanto-juvenil”, o encontro, que decorre na Biblioteca Nacional, é uma iniciativa da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) e da Câmara Municipal da Praia.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis