Praia: Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade vai ser património nacional – ministro

O Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade, na Cidade da Praia, vai ser classificado como património nacional, confirmou hoje o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.

“Na próxima semana teremos a proposta pronta e enviaremos ao Conselho de Ministros para a aprovação”, informou o ministro no final de uma visita enquadrada no âmbito da classificação deste sítio histórico a património nacional, situado a 13 quilómetros da Cidade da Praia.

Segundo Abraão Vicente, a classificação desse Conjunto como património nacional vai permitir a protecção legal que um complexo com interesse arqueológico como esse tenha a nível nacional para que futuras intervenções nesse espaço não periguem o seu valor patrimonial.

A classificação do Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade como património nacional vai, igualmente, permitir inscrever este espaço dentro daquilo que é o roteiro turístico da ilha de Santiago, disse Abraão Vicente.

Vai permitir ainda a promoção das investigações científicas que também são necessárias para aprofundar o estudo e o conhecimento desse espaço arqueológico, segundo o ministro.

“Aumenta também a responsabilidade da igreja que deve ceder ao Estado não só a autoridade para agir sobre estes territórios, mas também ajudar na mobilização dos recursos necessários para a sua preservação”, salientou Abraão Vicente aos jornalistas.

O governante disse que a nível histórico, o Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade é um “espaço de suma importância”, por ter sido visitado por Charles Darwin e ser a residência de um dos bispos mais importantes nos finais do século XVII.

O objectivo do Governo, segundo Abraão Vicente, é abrir o Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade a sociedade e fazê-lo um espaço de referência para as famílias cabo-verdianas fazerem visitas.

“É importante que as pessoas conheçam a localidade de Trindade, não só pelos outros espaços que cá existem, nomeadamente empresarial, clinico, mas também pelo seu valor patrimonial e de memoria”, asseverou.

No período colonial, a ilha de Santiago fora divida em duas principais capitanias. Enquanto Ribeira (Cidade Velha) demarcava-se como o ponto mais importante ao sul da ilha, a região de Trindade, acredita-se, ter sido uma das principais referências ao norte, devido a boa reserva de água encontrada na região.

Facto é que, naquele núcleo populacional, situada a 13 quilómetros da Cidade da Praia, reside uma antiga estrutura filipina que simboliza a sucessiva divisão de reinado entre Portugal e Espanha, desde Felipe II até Felipe IV da Espanha (respetivamente Felipe I e Felipe III de Portugal), entre 1580 e 1640.

Outro dado importante, prende-se a passagem de Charles Darwin à Ribeira da Trindade.

O trabalho de valorização do Património Histórico da Trindade remonta ao ano de 2009 com o projecto Guardiões do Património, levado a cabo pela organização não-governamental portuguesa Restauradores Sem Fronteiras, em parceria com o Instituto do Património Cultural (IPC) e Escritório Técnica da AECID em Cabo Verde.

Na altura realizou-se, além da primeira prospecção arqueológica, sessões de qualificação técnica e sensibilização junto à comunidade, visando a valorização histórica e dinamização do potencial turístico do Conjunto Patrimonial da Capela de Trindade, fazendo dela um lugar um foco de visitantes, do qual a comunidade pode obter um benefício.

O IPC, visando o resgate e a promoção do património cultural nacional, retoma, agora, em 2018, o processo de classificação do Conjunto Histórico da Trindade à Património Histórico Nacional.

Fonte: InforPress

Notícias

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1

Praias de Cabo Verde com condições para Bandeira Azul após aplicação de medidas – ONG

Primeiros inspetores chefes da PJ de Cabo Verde com formação da congénere portuguesa