PM lança medidas que estimulam a boa governança corporativa

O Governo garante que está empenhado em criar todas as condições para que a boa governança das empresas se entranhe em Cabo Verde como algo culturalmente aceite, desejado e valorizado, afiançou o Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, para quem uma das condições para a boa governança corporativa empresarial é a estabilidade económica, a transparência e a disciplina financeira. Pelo que avançou com um conjunto de medidas que o seu governo tem em curso neste sentido.

De acordo com uma noticia publicada na página oficial do Executivo, o Chefe de Governo anunciou estar em curso varias medidas. São os casos da "reestruturação e a privatização de empresas de capitais públicos para reduzir os elevados riscos fiscais e melhorar a eficiência da economia; o Programa de redução progressiva da dívida pública e uma lei de bases da dívida pública a ser apresentada ao Parlamento neste semestre; a criação do Conselho de Finanças Públicas; assim como medidas para introduzir eficácia na prevenção e repressão da fraude, evasão fiscal e enriquecimento ilícito, e o reforço da atividade inspetiva e fiscalizadora do Estado”, enumerou.

Do mesmo modo, são apontadas, entre outras medidas, a reestruturação das agências de regulação económica, a criação de um sistema institucional que garante o combate sistemático e permanente à corrupção, a reforma do código de empresas comerciais e registo de firma e, ao nível do mercado de capitais, a criação de um sistema de reporte e alteração pontual ao código de valores de mercado mobiliários, designadamente no respeitante à divulgação de transações de dirigentes de sociedades cotadas e lista de pessoas com acesso à informação privilegiada.

O que se quer, conforme o Primeiro-ministro, é valorizar o ativo confiança. “Confiança, estabilidade, capital humano de excelência e cosmopolitismo devem ser erigidos como elementos distintivos com os quais Cabo Verde se deve afirmar no concerto das nações e elementos que devem enformar o ambiente em que os investidores e as empresas operam”, reiterou Ulisses Correia e Silva, considerando ser a tarefa maior que tem em mãos atualmente.

Outra tarefa importante, acrescentou o chefe do Executivo, é orientar a governança corporativa do Estado para através de estímulos apropriados, em liberdade e em respeito pela autonomia das pessoas e das organizações, libertar as energias criadoras, inovadoras e participativas dos indivíduos, na família, na escola, na universidade, na empresa para a criação de valor económico, social, cultural e ambiental.

Mesmo porque, disse, a boa governança corporativa das empresas é importante para a eficiência da economia. “A tendência redutora de olhar para a empresa apenas como a entidade do patronato e dos acionistas descuida a visão sobre a sua grande responsabilidade económica e social pela riqueza que cria, emprego que cria, aquisições que faz, satisfação de necessidades com a oferta de bens e serviços que faz, a inovação que produz, os impostos que paga”, anotou.

Essas considerações foram feitas no quadro do discurso do Primeiro-ministro proferido na abertura da conferência “Governança Corporativa”, promovida, esta terça-feira, 6, pelo Ministério das Finanças, em parceria com a Escola de Negócios e Governação (ENG) da Universidade de Cabo Verde (UNICV).

Fonte: A Semana

Notícias

UNESCO reitera compromisso com a diversidade linguística como sendo essencial para o desenvolvimento sustentável

Governo quer uma formação profissional de excelência para os jovens cabo-verdianos (rectificada)

Governo reafirma aposta na indústria. Empresários querem "efectividade"

Alterações ao projecto “Djéu” de David Chow: Casino já não vai ficar situado sobre o mar

Aterros colocados no mar vão ser removidos para darem lugar a uma ponte – coordenador

Cabo Verde precisa de cerca de 400 milhões de contos para implementação do PEDS 2017-2021

São Lourenço dos Órgãos: Comunidade de Pico de Antónia quer “manter vivo” o tradicional almoço de Cinzas

Carnaval 2018 em São Vicente: Vindos do Oriente sagra-se bi-campeão, Monte Sossego arrasa nos prémios individuais

Afreximbank vai financiar Golden Tulip Mindelo

Estudo inédito quer caracterizar zonas de berçário de tubarões em Cabo Verde

Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional

The Resort Group garante construção do Hilton Praia

Ministro do Turismo e Transportes e da Economia Marítima animado com a dinâmica do Sal

PM lança medidas que estimulam a boa governança corporativa

Alejandro Casamor: “Temos de estar onde os nossos clientes querem ir”

Hotel Hilton abre nova oferta turística no Sal

Acesso ao financiamento do Programa Rota das Aldeias Rurais disponível a partir de segunda-feira

Governo vai investir 11 milhões de contos na requalificação dos centros urbanos nos próximos três anos

Cabo Verde lidera novamente lusófonos no Índice de Democracia – Economist

Santo Antão: Porto Novo vai ter quatro miradouros turísticos este ano

Ministro do Comércio e Indústria reitera engajamento do Governo no cumprimento dos acordos assinados com a CCS

Governo quer implementação de acções de formação profissional ligadas ao mundo empresarial

Câmara do Turismo de Cabo Verde saúda aprovação da lei que cria o “green card”

Stand de Cabo Verde na FITUR 2018 com muita procura do mercado espanhol e empresários de diversas nacionalidades

Directora de Investigação da União Europeia visita Cabo Verde para apresentar oportunidades do Programa Horizonte 2020

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo

INIDA já tem laboratório para certificação de alimentos que deve estar a funcionar até setembro

Cabo Verde procura novas estratégias para inovar o sector agrícola, alimentar e florestal – INIDA

Governo quer MEM como centro da economia azul

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo

Maio: A ilha vai receber o primeiro estudo arqueológico em Março – IPC

Governo vai legislar sobre o regime especial de protecção das tartarugas marinhas em Cabo Verde