Miss Africa USA Nereida Lobo está em Cabo Verde para promover plataforma sobre educação

Nereida Lobo coroada Miss Africa USA em Novembro do ano passado encontra-se em Cabo Verde para promover a sua plataforma sobre a educação através da doação de materiais escolares em três ilhas do arquipélago. A nossa Miss África foi também convidada da Gala dos Cabo Verde Music Awards que premiou os melhores da música cabo-verdiana.

A jovem cabo-verdiana, nascida na Ilha Brava há 24 anos, foi eleita no mês de Novembro, de entre 20 candidatas, Miss Africa USA 2016. Nereida diz sentir-se orgulhosa, mas não envaidecida, pois, como frisou na conversa com este semanário, ela considera-se uma miss com propósitos humanitários, ou seja, quer ajudar durante o seu reinado de um ano àqueles que mais precisam, sobretudo as crianças africanas.

Para isso criou uma organização chamada Little Crowns, Pequenas Coroas, em português. “A nossa missão é doar materiais escolares às crianças cujos pais não podem ajudar”.

Aliás, Nereida não esconde que passou por experiências similares às crianças africanas incluindo do seu país de origem que quer ajudar agora.

Nascida na Ilha Brava, onde viveu até os 11 anos antes de imigrar para os Estados Unidos, a Miss Africa USA recorda o percurso que fazia a pé até chegar à escola e as dificuldades por que passou.

“Como é uma experiência que passei quando eu era criança, o nosso foco é ajudar países africanos incluindo o meu. No futuro queremos construir escolas e bibliotecas, e quero começar pela minha ilha com o apetrechamento de uma biblioteca”.

Por enquanto os projetos de Nereida são menos ambiciosos, mas não menos eficazes.

Antes de chegar a Cabo Verde para a primeira visita que decorre até o dia 15 de Maio, a Little Crowns esteve a angariar materiais escolares que a nossa Miss Africa vai oferecer a crianças carenciadas nas três ilhas que está a visitar: Santiago, Fogo e Brava.

Na sua próxima deslocação ao seu país de origem Nereida quer visitar outras três ilhas com os mesmos propósitos.  

Mas por enquanto o que está na agenda da jovem cabo-verdiana é a sua visita ao continente, pois, como acentua, enquanto Miss Africa USA representa toda a África. “Por isso depois da minha partida de Cabo Verde vou preparar visitas ao Gana, Nigéria e Camarões”.

Um dos primeiros atos públicos da nova Miss Africa USA foi o seu encontro com Carlos Veiga, o embaixador de Cabo Verde nos Estados Unidos que ela relata nestes termos: “É uma espécie de lei não escrita que as Miss Africa USA antes de partirem para um determinado país africano, devem ir pedir bênção ao embaixador desse país. Quando ouvi a notícia de que Carlos Veiga iria ser o novo embaixador de Cabo Verde nos Estados Unidos, disse para mim que não podia perder essa oportunidade. O meu staff endereçou o convite à embaixada solicitando ser recebida pelo Dr. Carlos Veiga antes de partir para Cabo Verde. Quando vi pela primeira vez o Dr. Carlos Veiga veio-me logo à memória os tempos de campanha eleitoral em que ele participou e senti-me feliz por tê-lo conhecido pessoalmente. É uma pessoa extraordinária e estou-lhe muito grata por todo o apoio que me dispensou para a minha vinda a Cabo Verde”.

Na sua biografia oficial lê-se que Nereida Lobo graduou-se na Universidade Adventista de Washington com um BA em Psicologia e que é fluente em português, espanhol, crioulo e inglês. E termina com esta mensagem de fé: “Eu quero que o mundo realize a minha visão e entenda que a minha vida é um espelho que lhes permite ver o que eles são verdadeiramente capazes de realizar”. 

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Primeira edição de Festival de curtas-metragens apresentada em Mindelo

Empresas alemãs procuram parceiros cabo-verdianos no sector do turismo e energias renováveis

Cabo Verde vai implementar em 2019 projecto subaquático “Margullar” – garante Jair Fernandes

Santa Catarina: Livro “Histórias da História de Santiago” vai ser apresentado quarta-feira em Assomada

Biosfera alerta para atentados à biodiversidade

Livre circulação no topo da agenda da Cimeira do Sal

Duas décadas de estabilidade e de credibilidade para a moeda cabo-verdiana

PR diz ser preciso acarinhar e preservar a língua portuguesa

IGRP Web do NOSi entre o TOP 50 de inovações em África

Cabo Verde e Brasil poderão colaborar a nível do turismo de aventura e comércio de vinhos

Tecnologias: Cinema da Praia recebe a 2ª edição do TEdx Praia

O turismo não pode estar de costas voltadas para as populações

Universidades cabo-verdianas ainda se assemelham aos liceus – reitor da Uni-Piaget

Ilha do Fogo: Universidade de Santiago promove a partir de sábado a IX edição do “Rotas do Arquipélago”

Santo Antão: Aumento do turismo trouxe novas oportunidades de negócios ainda pouco exploradas na ilha – Raízes

Ilha do Fogo: Empresários brasileiros na ilha para desenvolvimento de parcerias no sector do turismo rural

Cabo Verde não vai pedir assistência financeira ao FMI, afirma ministro das Finanças

Governo português analisa entrada da CGD no Fundo Soberano de Cabo Verde

Investigador defende que é necessário entender as reais necessidades da oceanografia costeira

Herança cultural da Europa vem da mistura da cultura com a África – Embaixadora da UE em Cabo Verde

Santiago Norte: Projecto-piloto propõe turismo sustentável que beneficie empresas locais e comunidade

Porto Novo: Fundo do Turismo recupera ex-edifício camarário para receber centro de interpretação turística

​Isenção total de vistos é objectivo comum, mas há muito caminho a percorrer

Cabo-verdianos não conseguem poupar e não querem comprar casa nem carro

Cabo Verde perde um milhão de turistas por falta de acessibilidades - FECAD

Oásis Atlântico lança projecto turístico no Tarrafal

Criada comissão conjunta para desenvolver projecto de Turismo Seguro para a ilha de Santiago

São Vicente/Economia Marítima: Técnicos chineses na ilha para planeamento da 1ª fase da Zona Especial

Santo Antão: Projecto Raízes concluí caracterização dos caminhos vicinais que vão formar rotas turísticas na ilha

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo