Ministro do Comércio e Indústria reitera engajamento do Governo no cumprimento dos acordos assinados com a CCS

O ministro do Comércio e Indústria, Alexandre Monteiro, afirmou hoje que o ”foco imediato” do Governo é trabalhar para acelerar as delegações das competências previstas no âmbito do acordo assinado com à Câmara de Comércio de Sotavento (CCS).

Alexandre Monteiro fez hoje a sua primeira visita institucional à Câmara de Comércio de Sotavento, na Cidade da Praia, com o objectivo de reafirmar o empenho e disponibilidade do Governo em reforçar e continuar um “importante diálogo” com à CCS.

Em 2017, a Câmara do Comércio de Sotavento, juntamente com a sua congénere de Barlavento e a Câmara de Turismo de Cabo Verde, assinaram com o Governo três acordos considerados essenciais, designadamente, o de para a melhoria do ambiente de negócios e o reforço da competitividade da economia nacional, o acordo para delegação de competências do sector público para o sector privado e o acordo para a reforma da política industrial em Cabo Verde.

Segundo o governante, durante esta visita , abordaram questões relacionadas com a melhoria do ambiente de negócio no país e acções importantes que resultam na implementação de acordos existentes entre o Governo e as câmara de comércio, em relação ao licenciamento industrial e à emissão de certificado de origem.

São acções que o ministro garante que já estão em curso, e que irão colocar todo o foco na sua implementação , o “mais rapidamente possível”.

“Neste momento, há um diálogo importante a manter na construção das políticas sectoriais. (…) Mas, de imediato, o nosso foco vai ser na implementação dos compromissos que constam do acordo celebrado entre o Governo e as CCS, que visam um conjunto de medidas, um dos quais , do ministério, é trabalhar para acelerar as delegações de competências previstas”, indicou.

O presidente do Conselho Directivo da Câmara de Comércio de Sotavento, Jorge Spencer Lima, confirmou que, no âmbito destes acordos, já estão na fase de implementação , o acordo da transferência de competências da Administração Pública para as câmaras.

“Já temos três pontos identificados para serem transferidos imediatamente, que são a questão do licenciamento industrial, a de da emissão do certificado de origens (…) e a emissão dos certificados de comércio extremo. São questões que já estão em cima da mesa e que já foram objectos de negociação e nós pensamos que no máximo, em três meses, podem ficar resolvidas”, disse.

Os empresários e os cabo-verdianos, segundo Jorge Spencer Lima, querem ver as coisas avançarem “mais rápido”, pois, ao seu ver, o Governo já teve quase dois anos “a organizar a casa e a ver o que se passa”, mas, agora é altura de “acelerar os processos”, que as reformas sejam feitas e que as promessas sejam cumpridas para que possam ver na prática a melhoria do sistema económico.

Mas para isso, afirmou há que haver mudanças e há que ter um engajamento do sector privado, das empresas e do Governo para que Cabo Verde possa ser um país economicamente estável e que traga benefícios reais para as pessoas.

Jorge Spencer Lima acredita ainda que o país tem condições de fazer mudanças, por isso apela ao Governo que resolva as questões da unificação do país, a nível dos transportes marítimos e aéreos.
Segundo disse, essas duas questões “não estão a funcionar bem”, portanto, há que melhorar, sobretudo, as questões dos preços que subiram e a regularização dos voos.

“Se nós resolvemos esses dois problemas em Cabo Verde, eu já me dou por satisfeito, porque, isto é a base do futuro e de tudo para ter um país unificado e estável. Aí sim, vamos trabalhar a economia e outras questões e é possível encontrar soluções”, sublinhou.

Fonte: InforPress

Notícias

UNESCO reitera compromisso com a diversidade linguística como sendo essencial para o desenvolvimento sustentável

Governo quer uma formação profissional de excelência para os jovens cabo-verdianos (rectificada)

Governo reafirma aposta na indústria. Empresários querem "efectividade"

Alterações ao projecto “Djéu” de David Chow: Casino já não vai ficar situado sobre o mar

Aterros colocados no mar vão ser removidos para darem lugar a uma ponte – coordenador

Cabo Verde precisa de cerca de 400 milhões de contos para implementação do PEDS 2017-2021

São Lourenço dos Órgãos: Comunidade de Pico de Antónia quer “manter vivo” o tradicional almoço de Cinzas

Carnaval 2018 em São Vicente: Vindos do Oriente sagra-se bi-campeão, Monte Sossego arrasa nos prémios individuais

Afreximbank vai financiar Golden Tulip Mindelo

Estudo inédito quer caracterizar zonas de berçário de tubarões em Cabo Verde

Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional

The Resort Group garante construção do Hilton Praia

Ministro do Turismo e Transportes e da Economia Marítima animado com a dinâmica do Sal

PM lança medidas que estimulam a boa governança corporativa

Alejandro Casamor: “Temos de estar onde os nossos clientes querem ir”

Hotel Hilton abre nova oferta turística no Sal

Acesso ao financiamento do Programa Rota das Aldeias Rurais disponível a partir de segunda-feira

Governo vai investir 11 milhões de contos na requalificação dos centros urbanos nos próximos três anos

Cabo Verde lidera novamente lusófonos no Índice de Democracia – Economist

Santo Antão: Porto Novo vai ter quatro miradouros turísticos este ano

Ministro do Comércio e Indústria reitera engajamento do Governo no cumprimento dos acordos assinados com a CCS

Governo quer implementação de acções de formação profissional ligadas ao mundo empresarial

Câmara do Turismo de Cabo Verde saúda aprovação da lei que cria o “green card”

Stand de Cabo Verde na FITUR 2018 com muita procura do mercado espanhol e empresários de diversas nacionalidades

Directora de Investigação da União Europeia visita Cabo Verde para apresentar oportunidades do Programa Horizonte 2020

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo

INIDA já tem laboratório para certificação de alimentos que deve estar a funcionar até setembro

Cabo Verde procura novas estratégias para inovar o sector agrícola, alimentar e florestal – INIDA

Governo quer MEM como centro da economia azul

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo

Maio: A ilha vai receber o primeiro estudo arqueológico em Março – IPC

Governo vai legislar sobre o regime especial de protecção das tartarugas marinhas em Cabo Verde