Governo espera mais regularidade nos transportes marítimos a partir de Agosto

O serviço de transporte marítimo inter-ilhas deve passar a ser mais regular a partir de Agosto deste ano, com a operacionalização de todos os três navios da Cabo Verde Fast Ferry. É pelo menos essa a convicção do Ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves.

 A tutela garante que o navio da marinha mercante, Praia d’Aguada, acostado no cais do Porto Grande, em São Vicente, há mais de um ano, deve começar a navegar antes do final do mês de Abril. A embarcação, apesar de ter sido submetido a “grandes reparações” nos estaleiros navais da Cabenave, não se encontrava operacional, segundo o ministro, devido a problemas nas máquinas e nas gruas. Uma situação que já está resolvida.

“As máquinas e as gruas do Praia d’Aguada já foram todas reparadas e testadas, estão em condições normais de funcionamento, pelo que o navio encontra-se actualmente na fase final de apetrechamento de equipamentos de segurança, para ser submetido a vistoria e certificação até meados de Abril. Tudo leva a crer que o Praia d’Aguada estará a navegar antes do final do mês de Abril. A viagem reinaugural será de São Vicente a São Nicolau”, assegura.

Também o navio Kriola, da companhia Fast Farry, está nos estaleiros navais da Cabenave para reparação. O governante afirma que o mesmo deverá estar preparado para vistoria em meados de Maio, antecipando que deverá estar certificado em meados do mesmo mês. Nessa altura, será a vez do Liberdadi subir aos estaleiros navais para a sua manutenção regular.

“Com este plano de recuperação, todos os navios três navios da CV Fast Ferry estarão a operar a partir do mês de Agosto para segurar os serviços regulares dos transportes marítimos inter-ilhas, à todas as ilhas do arquipélago, com particular incidência nas ilhas menos servidas”, considera.

O Ministro da Economia e Emprego garante ainda que está em curso a actualização do estudo de satisfação das necessidades dos transportes inter-ilhas. Ao mesmo tempo, diz, também a CV Fast Ferry está a actualizar o seu plano de negócios e operacional para fazer face à procura nas ilhas menos servidas, como é o caso da Boa Vista, Maio, São Nicolau e Sal.

O governante falava hoje no parlamento, na sequência da interpelação do executivo pela bancada parlamentar do PAICV, sobre o sector dos transportes.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Santiago e São Vicente acolhem festival de cinema itinerante de Língua Portuguesa

Milhares de garrafas recolhidas no fim de semana no areal de Santa Maria vão dar vida a azulejos

Empresa de Macau negocia instalação de polo tecnológico em Cabo Verde

Portugal e Cabo Verde unidos pela livre circulação esperam "boas notícias" na CPLP

Santo Antão: Operadores dizem-se “vítimas da concorrência desleal” do turismo residencial que começa a ser fomentado na ilha