FestiCoral regressa com 10 grupos de coral

O Orfeão da Praia está a ultimar os preparativos para a 2ª edição do FestiCoral, que vai decorrer na Cidade da Praia, nos dias 20 a 27 deste mês, sob o lema “Cantar a Praia”.

Esta iniciativa é do Orfeão da Praia que pretende reunir na capital do país grupo corais nacionais e internacionais para partilhar experiência e proporcionar aos praienses bons momentos de música coral.

O FestiCoral vai reunir na Cidade da Praia 140 pessoas, entre coralistas, instrumentistas, coreógrafos e regentes de diferentes idades, classe social e identidades.

“O evento terá a participação de 10 grupos corais, sendo dois internacionais: de Portugal e de Dakar (Senegal). A nível nacional, além do Orfeão da Praia, estarão outros grupos da ilha de Santiago, sendo dois infantis”, indica Filomena Delgado, do Orfeão da Praia.

A 2ª edição do Internacional FestiCoral Praia que marca o 10º aniversário da retoma das atividades coralistas do Orfeão da Praia, vai prestar homenagem à Cidade da Praia, que comemora os seus 161 anos.

O ponto alto do festival será nos dias 24 e 25, onde estarão na Assembleia Nacional com as atividades de cantos. “No dia 24, todos os grupos sobem ao palco com músicas da Praia, porque o evento é dedicado à capital do país. Ainda no dia 25 todos os grupos estarão no palco, porque é um dia especial para o Orfeão da Praia que completa nesse dia o seu 10º aniversário, após a retoma das suas atividades”.

Durante uma semana, além de música coral, está programada a realização de um workshop sobre técnicas de canto coral, expressão corporal, regência de coros e teatralização musical, que serão ministrados por formadores de grupos corais estrangeiros.

“Este evento é uma iniciativa que pretende divulgar estilos musicais de cada país participante, do erudito ao popular, do regional ao folclórico, bem como incentivar a prática do canto coral, contribuindo para o surgimento de novos grupos corais”, sublinha.

A organização garante que está a trabalhar afincadamente para a realização deste evento que está orçado em 4 mil contos. “O nosso objetivo é fazer com que as pessoas reconheçam que a música é união entre os povos e é um meio de globalização, pois nas nossas viagens conhecemos grupos de países distantes e que mostram interesse em conhecer o nosso país”.

Segundo Filomena Delgado, a intenção deles é de realizar o FestiCoral de dois em dois anos. O primeiro foi em 2016, e o segundo era para ser em Abril do ano passado por ocasião dos 160 anos da Cidade da Praia mas não foi possível.

“Então decidimos realizar a 2ª edição este mês para coincidir com as festas do município da Praia. E neste momento estamos a trabalhar fortemente para que este evento aconteça”, conta.

Para a organização, um evento desta envergadura, para além de contribuir para a dinamização da música cabo-verdiana na sua faceta polifónica e estilizada, servirá para promover Cabo Verde nos palcos do mundo.

Em relação a apoios, disse que já tem alguns, mas que falta ainda mais para atingirem o desejado. “Estamos crentes que vamos conseguir mais financiamento para esse grande evento. Estamos a trabalhar com muita garra, correndo principalmente atrás dos patrocínios que estão escassa o que nos complica um pouco a vida, no que concerne à planificação dos eventos e as despesas que temos para o FestiCoral”.

Depois dessa edição, o Orfeão da Praia espera daqui a dois anos realizar a terceira edição do FestiCoral.

Este evento foi realizado pela primeira vez em dezembro de 2016 e reuniu cerca de 160 coralistas de Cabo Verde, Brasil e Portugal. O Orfeão da Praia é uma associação cultural sem fins lucrativos que vem trabalhando desde 2009 em prol da divulgação da música cabo-verdiana não só na ilha de Santiago, mas também em outros países.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis