Exportação: Cabo Verde TradeInvest vai criar directório de empresas e prestadores de serviços

A Cabo Verde TradeInvest está a trabalhar na criação de um directório de empresas e prestadores de serviços, com o objectivo de divulgar o mercado nacional de uma forma rápida e célere junto dos investidores e exportadores.

A informação foi avançada hoje pela presidente do Conselho de Administração da Cabo Verde TradeInvest, Ana Barbier, durante o workshop sobre exportação para o mercado dos Estados Unidos América (EUA), no âmbito do programa AGOA, a decorrer na Cidade da Praia, com o objectivo proporcionar mais acesso às informações sobre o programa.

Ana Barbier adiantou que a Cabo Verde Trade Invest, dentro da sua missão , tem estado a trabalhar juntamente com as instituições e os operadores económicos, contribuindo para que o país possa concretizar e dinamizar a sua exportação para os EUA, aproveitando os benefícios e as facilidades do AGOA.

Neste sentido, adiantou que durante o ano de 2018 várias actividades estão previstas, nomeadamente o desenvolvimento e a implementação de uma estratégia de exportação, através do programa de capacitação para exportadores e potenciais exportadores, formação sobre acesso às finanças, documentação comercial, negociações comerciais e a participação em eventos internacionais.

Uma aposta forte e continuada vai ser na questão da formação e capacitação, de acordo com a responsável.

“Melhorar a competitividade da exportação cabo-verdiana, preparar o manual para exportação de Cabo Verde, promover a exportação ajudando também as empresas cabo-verdianas a desenvolverem os seus negócios regionais e internacional são os nossos propósitos”, disse a PCA da Cabo Verde Trade Invest, que aponta como essencial também a questão da publicitação das empresas

Na agenda para este ano está também a realização de um festival internacional de aguardente e bebidas espirituosas de Cabo Verde, como forma de promover o grogue e o rum de Cabo Verde.

Ana Barbier referiu-se também à implementação do Centro Internacional de Negócios que já está regulamentado e operacionalizado.

Este centro, conforme indicou, vai passar a conceder benefícios fiscais competitivos para os diversos sectores, como a indústria, o comércio e serviços, criando uma nova dinâmica para a exportação de bens e serviços made in Cabo Verde, contribuindo assim para a implementação e a promoção de Cabo Verde como plataforma regional de exportação para os EUA, para o continente africano e para o mundo.

O AGOA, segundo aquela responsável tem sido a base das relações comerciais entre o EUA e o continente Africano no âmbito do comércio de investimentos. Através do AGOA, cerca de 6400 produtos podem ser exportados para os EUA sem pagamento de direitos de importação.

O programa, cuja implementação arrancou há 18 anos, vai prolongar-se até 2025.

O encontro de hoje é apoiado pela USAID/West África Trade & Investiment Hub, e dele se espera resultados que contribuam para aprimorar os conhecimentos do processo de exportação no país para os Estados da América através do AGOA.

O evento conta com a presença do especial Kara Diallo da USAID/West África Trade & Investiment Hub.

Fonte: InforPress

Notícias

Ilha do Sal: Segunda edição do Festival Internacional de Literatura arranca esta quinta-feira com cerca de 40 escritores

MCIC apresenta I edição da “Viagem pela história” na Ribeira Grande de Santiago

Maio acolhe “Djarmai Campus-Summer School” em Agosto

Cabo Verde adere a convenções do conselho da Europa sobre proteção de dados e cibercriminalidade

Porto Novo: Operador estrangeiro confirma investimento de 70 mil contos no sector das pescas

O objectivo último é que Cabo Verde, um dia, deixe de precisar da cooperação para o desenvolvimento

Governo dos Açores confiante na cooperação entre ilhas da Macaronésia

Miguel Rosa: “É importante aprender com os erros” do Sal e Boa Vista

Grupo Rangel e Binter CV firmam acordo para o transporte de carga

Vice-Primeiro Ministro assina donativo de 10 milhões de euros com Fundo Orio para o Terminal de Cruzeiros do Mindelo

São Vicente: “Diplomacia gastronómica” como pedra de toque da VI edição do Kavala Fresk Feastival

Editores esperam que presidência da CPLP dinamize literatura e cultura lusófona

Cinquenta jovens iniciam formação em restauração e gestão de ordenamento hoteleiro na EHTCV

Pedro Lopes participa no primeiro programa da Fundação Obama em África Detalhes

Ministério da Cultura realiza 1º Fórum Nacional de Editores e Livreiros de Cabo Verde

“De uma forma geral, em termos de criação de emprego, o impacto do turismo é positivo” – José Gonçalvez

Cabo Verde quer reactivar ligações aéreas com São Tomé e Príncipe

Governo quer fazer deste arquipélago uma Nação “útil” ao mundo no Atlântico Médio

Há oportunidades, mas algum cuidado não faz mal a ninguém

Ministro José Gonçalves representa Cabo Verde na 61ª reunião da Comissão Regional da OMT para a África

Santo Antão: Estância turística de Passagem reaberta na próxima semana com inauguração das obras de reabilitação

Santo Antão: Operadores turísticos desejam criação de uma representação do Ministério do Turismo na ilha

Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” defende criação de órgãos permanentes de tutela e controlo da praia de Fonte Bila

Especialistas do Banco de Portugal não vêem vantagens na euroização da economia cabo-verdiana

Festival de Literatura-Mundo do Sal vai ter extensão em Lisboa este ano e perspectiva Brasil em 2019

Turistas gastam em média 4.518 escudos, por dia, em Cabo Verde

Ilha do Maio: Ministro José Gonçalves faz balanço positivo do encontro de alto nível sobre o turismo

Cabo Verde aproveita cimeira da Macaronésia para se afirmar como ponte entre Europa e África

José Gonçalves quer ilha do Maio com turismo "diferente e planeado"

Santo Antão recebe seminário internacional para debater o turismo ecológico

Agrupamentos competitivos de queijo do Fogo e Boa Vista de olhos no mercado turístico hoteleiro

Sector privado passa a gerir incubadoras de inovação

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo