Emprego cresce 2,3 porcento em estabelecimentos hoteleiros em Cabo Verde

A taxa de emprego em estabelecimentos hoteleiros de Cabo Verde cresceu 2,3 porcento em 2015, embora o número de unidades ativas no período em referência tenha reduzido em 1,3 porcento, apurou a PANA, quarta-feira, na cidade da Praia, de fonte estatística.
Segundo dados do inventário anual realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no final do ano de 2015 estavam em atividade 226 estabelecimentos hoteleiros, com uma capacidade de alojamento de 10 mil e 626 quartos, 18 mil e 55 camas e 22 mil e 954 lugares, traduzindo-se em decréscimos de 2,0 porcento, 0,7 porcento e 0,9 porcento respetivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior.
No entanto, unidades hoteleiras inventariadas empregavam cerca de 6seis mil e 426 pessoas, o que corresponde a um acréscimo de 2,3 porcento em relação ao ano  de 2014.
Os dados mostram que os hotéis continuam a empregar o maior número de pessoas, representando cerca de 81,9 porcento do total de trabalhadores, sendo cerca de 90 porcento Cabo-verdianos, dos quais 59,3 porcento são mulheres.
O INE revela ainda que cerca de 45 em cada 100 empregados trabalham nos estabelecimentos na ilha do Sal, o principal centro turísto do arquipélago cabo-verdiano; em seguida aparecem as ilhas da Boa Vista e de Santiago, com 27,9 porcento e 12,7 porcento, respetivamente..
De entre o pessoal ao serviço remunerado, avaliado em 98,9 porcento, cerca de 78,3 porcento têm contrato a termo, 18,4 porcento têm contrato permanente e apenas 3,3 porcento sem  contrato.
Dos com contrato a termo, 36,6 porcento têm contrato de um ano, 33,2 porcento de três meses e 30,2 porcento de seis meses.
Por categoria de pessoal ao serviço das unidades hoteleiras, a restauração representa 17,2 porcento do pessoal, a cozinha 14,7 porcento), andares 12,1 porcento) e limpeza 10,8 porcento.
As categorias menos representativas são o controlo com 0,9 porcento, o economato  com 1,1 porcento e a pastelaria com 2,8 porcento.
O inventário do INE dá conta que a ilha de Santiago possui 49 estabelecimentos de alojamento turístico, correspondente a 21,7 porcento do total existente.
Seguem as ilhas de Santo Antão, São Vicente e Sal com 42, 40 e 28 estabelecimentos, representando, respetivamente, 18,6 porcento, 17,7 porcento e 12,4 porcento do total.
Em 2015, o maior aumento de estabelecimentos ocorreu na ilha de São Vicente, com um acréscimo de três novas unidades, ao paso que as ilhas de Santo Antão e Maio registaram um acréscimo de mais um estabelecimento.
As ilhas do Sal, Santiago e Brava registaram cada mais dois estabelecimentos do que os existentes no ano de 2014.
Em relação ao tipo de alojamento, verificou-se maior aumento em hotéis, com mais cinco estabelecimentos, face ao ano  de 2014, a que se seguiram residenciais (+2).
Os decréscimos ocorreram nem pensões (-6), em pousadas e hotéis com apartamentos, ambos com menos dois estabelecimentos cada.

Fonte: Panapress

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis