Cabo Verde precisa de cerca de 400 milhões de contos para implementação do PEDS 2017-2021

Cabo Verde precisa de cerca de 400 milhões de contos para a implementação do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentado (PEDS) para o período 2017-2021 e em Maio o Governo vai realizar uma mesa redonda para garantir esse financiamento.

A informação foi dada hoje pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças Olavo Correia, Olavo Correia, durante um encontro realizado, na Cidade da Praia, com o corpo diplomático, para a apresentação desse plano, que prevê a transformação de Cabo Verde num país plataforma no Atlântico médio para garantir sua inserção na economia mundial.

Olavo Correia adiantou que o Governo está a trabalhar para realizar, em Maio, uma mesa redonda para garantir o financiamento desse plano, que será, entretanto, precedida de outras acções junto dos diversos parceiros.

“Queremos ter uma abordagem a três níveis. Uma abordagem institucional normal como temos estado a fazer até agora com os parceiros institucionais, mas queremos fazer mesas redondas específicas com o sector privado para as plataformas várias que queremos construir”, explicou fazendo alusão às plataformas do turismo, aérea, marítima, tecnológica e outras.

A ideia, conforme o governante, é mobilizar o sector privado nacional e internacional, bancos de investimentos internacionais, sociedades e fundos de investimentos e operadores especializados para vender as plataformas e mobilizar parcerias para as suas concretizações.

Uma terceira abordagem será uma mesa redonda específica que tem a ver com o papel das ONG (organizações não-governamentais) na concretização do PEDS e a forma como elas possam ser envolvidas e as parcerias que podem ser estabelecidas para uma intervenção qualificada que se quer nesse processo.

“Portanto, teríamos uma mesa redonda geral que fazemos sempre, mas depois teremos espaços mais específicos, porque pensamos que é muito mais produtivo essa abordagem do que apenas uma mesa redonda geral”, explicou Olavo Correia.

Do corpo diplomático, disse que o Governo espera uma “forte parceria” para o desenvolvimento, ultrapassando o modelo da mera reciclagem de ajuda externa.

“Nós não podemos criar a ilusão em como esse país vai avançar com mais ajuda pública e com mais endividamento público”, sustentou, sublinhando a necessidade de reforçar a soberania nacional e credibilidade no plano internacional e regional.

“Menos ajuda, menos dívida, mais investimentos, mais negócios, mais empresas, mais valor, mais emprego, mas rendimento, em todas as ilhas, e a transformação de Cabo Verde num ponto de negócio à escala global é o grande desafio de Cabo Verde”, salientou Olavo Correia.

O PEDS, cujo processo de elaboração foi lançado em Janeiro do ano passado, tem como objectivos finais o crescimento económico sustentável, desenvolvimento humano e a inclusão social.

Está assente nos pilares económico, social, segurança e soberania e da diáspora e deve estar alinhado com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentado (ODS).

Fonte: InforPress

Notícias

Ilha do Sal: Segunda edição do Festival Internacional de Literatura arranca esta quinta-feira com cerca de 40 escritores

MCIC apresenta I edição da “Viagem pela história” na Ribeira Grande de Santiago

Maio acolhe “Djarmai Campus-Summer School” em Agosto

Cabo Verde adere a convenções do conselho da Europa sobre proteção de dados e cibercriminalidade

Porto Novo: Operador estrangeiro confirma investimento de 70 mil contos no sector das pescas

O objectivo último é que Cabo Verde, um dia, deixe de precisar da cooperação para o desenvolvimento

Governo dos Açores confiante na cooperação entre ilhas da Macaronésia

Miguel Rosa: “É importante aprender com os erros” do Sal e Boa Vista

Grupo Rangel e Binter CV firmam acordo para o transporte de carga

Vice-Primeiro Ministro assina donativo de 10 milhões de euros com Fundo Orio para o Terminal de Cruzeiros do Mindelo

São Vicente: “Diplomacia gastronómica” como pedra de toque da VI edição do Kavala Fresk Feastival

Editores esperam que presidência da CPLP dinamize literatura e cultura lusófona

Cinquenta jovens iniciam formação em restauração e gestão de ordenamento hoteleiro na EHTCV

Pedro Lopes participa no primeiro programa da Fundação Obama em África Detalhes

Ministério da Cultura realiza 1º Fórum Nacional de Editores e Livreiros de Cabo Verde

“De uma forma geral, em termos de criação de emprego, o impacto do turismo é positivo” – José Gonçalvez

Cabo Verde quer reactivar ligações aéreas com São Tomé e Príncipe

Governo quer fazer deste arquipélago uma Nação “útil” ao mundo no Atlântico Médio

Há oportunidades, mas algum cuidado não faz mal a ninguém

Ministro José Gonçalves representa Cabo Verde na 61ª reunião da Comissão Regional da OMT para a África

Santo Antão: Estância turística de Passagem reaberta na próxima semana com inauguração das obras de reabilitação

Santo Antão: Operadores turísticos desejam criação de uma representação do Ministério do Turismo na ilha

Fogo: Projecto “Rotas do Fogo” defende criação de órgãos permanentes de tutela e controlo da praia de Fonte Bila

Especialistas do Banco de Portugal não vêem vantagens na euroização da economia cabo-verdiana

Festival de Literatura-Mundo do Sal vai ter extensão em Lisboa este ano e perspectiva Brasil em 2019

Turistas gastam em média 4.518 escudos, por dia, em Cabo Verde

Ilha do Maio: Ministro José Gonçalves faz balanço positivo do encontro de alto nível sobre o turismo

Cabo Verde aproveita cimeira da Macaronésia para se afirmar como ponte entre Europa e África

José Gonçalves quer ilha do Maio com turismo "diferente e planeado"

Santo Antão recebe seminário internacional para debater o turismo ecológico

Agrupamentos competitivos de queijo do Fogo e Boa Vista de olhos no mercado turístico hoteleiro

Sector privado passa a gerir incubadoras de inovação

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo