Cabo Verde leva cinco atletas aos Jogos Olímpicos Rio 2016

Cabo Verde vai estar representado por cinco atletas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (Rio 2016) que começam a 2 de agosto nesta cidade brasileira, apurou a PANA, terça-feira, na cidade da Praia, de fonte desportiva.

Maria “Zezinha” Andrade (taekwondo), Davilson Morais (boxe) e Jordi Andrade (400 metros barreiras) são os três atletas cabo-verdianos que obtiveram a qualificação por mérito, enquanto a velocista Lidiane Lopes foi contemplada pela Solidariedade Olímpica com um "wild-card", o mesmo acontecendo em relação a Elyane Boal (ginástica rítmica).

De acordo com fonte do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), a comitiva que vai participar no Rio 2016 integra ainda cinco treinadores, três médicos e fisioterapeuta, um chefe de missão, a presidente do COC, um jornalista e um secretário-geral.

Trata-se da maior representação de sempre de Cabo Verde nos Jogos Olímpicos de Verão, o que, segundo a presidente do COC, Filomena Fortes, é uma prova de que o desporto cabo-verdiano está a avançar, ainda que haja necessidade de fazer maior trabalho de base.

Todos os atletas cabo-verdianos estão em estágio fora do país (Davilson Morais em Cuba, Zezinha Andrade e Jordi Almeida nos Estados Unidos, Eliane Boal no Brasil e Lidiane Lopes em Portugal).

Cabo Verde vai participar também nos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, que decorrem entre 7 e 18 de setembro do mesmo ano, com dois atletas que se qualificaram por mérito para a competição.

Gracelino Barbosa, atleta de 28 anos, nascido no Tarrafal de Santiago, é recordista do mundo nos 110 metros barreiras, conquistado no IX Campeonato do Mundo para atletas com deficiência intelectual (T/F-20) na cidade de Praga, República Checa.

Já Márcio Fernandes obteve o passaporte para o Brasil ao vencer as provas de lançamento de dardo e disco nos Jogos Africanos.

Fonte: Panapress

Notícias

Fundação Maio Biodiversidade há 12 anos a preservar a riqueza natural da ilha

Produtos hortícolas de Cabo Verde têm menos pesticidas do que os importados, explica director nacional do Ambiente

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1