Cabo Verde está a regularizar dívidas de cotizações a organizações internacionais – Luís Filipe Tavares

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse que o país está a regularizar as dívidas de 3 mil milhões de escudos de cotizações que tem junto de organizações internacionais de que faz parte.

 

"Estamos a pagar. Obviamente que, hoje, seguramente, menos, mas há oscilações porque nós temos as quotas de 2017 e algumas já devemos estar a pagar, como a União Africana. Outras ainda não pagámos, mas vamos pagando", garantiu Luís Filipe Tavares.

Em Julho último, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, revelou que o novo Governo do Movimento para a Democracia (MpD) herdou do executivo do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) dívidas em cotizações a organizações internacionais de 3 mil milhões de escudos.

Destacando o caso da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), cuja dívida ascendia a mil milhões de escudos, o primeiro-ministro disse ter vergonha de participar nas reuniões da organização e "ser chamado de caloteiro".

Em declarações hoje à Lusa na cidade da Praia à margem de uma reunião regional sobre a governação e políticas de gestão de recursos marinhos e redução da pobreza, Luís Filipe Tavares não precisou a percentagem do montante que Cabo Verde já pagou, garantindo que o país "paga todos os dias", mas também recebe novas facturas todos os dias.

"Temos feito uma gestão muito criteriosa disto tudo. O ministro das Finanças acompanha isto tudo de perto, já fizemos planos de pagamento e as coisas estão a funcionar com a fluidez necessária", sublinhou o governante.

Luís Filipe Tavares disse ainda que há vários calendários estabelecidos para regularizar as dívidas e que o arquipélago está a cumprir e a trabalhar normalmente.

"Mas há um trabalho que é feito em coordenação entre os Ministérios dos Negócios Estrangeiros e das Finanças e as coisas estão a ser conduzidas de forma mais responsável possível e acreditamos que vamos cumprir os nossos compromissos como sempre cumprimos", afirmou.

Além da CEDEAO, Cabo Verde integra organizações como a União Africana (UA) e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis