Agências de viagens sem condições de beneficiar da Taxa de Segurança Aeroportuária – associação da classe

A Associação das Agências de Viagens de Cabo Verde (AAVTCV) defende que as agências de viagens cabo-verdianas não estarão em condições de beneficiar da Taxa de Segurança Aeroportuária que vigora desde 1 de Janeiro.

Em nota enviada à Inforpress, a AAVTCV esclarece que as agências, na sua maioria, não vão beneficiar de imediato com a taxa porque não funcionam propriamente como agências de turismo e, quando tal acontece, o volume de negócios é ainda “pouco expressivo”.

Desse modo, a AAVTCV considera que este novo quadro deverá beneficiar essencialmente as grandes agências emissoras de turistas.

“Para que as agências de viagens e turismo cabo-verdianas possam ter uma parte importante desse bolo é preciso que estas possam desenvolver mais a vertente do turismo e aumentar os seus negócios, algo que desde a primeira hora ainda da candidatura desta gestão, mantemos sublinhado na nossa agenda e planos de atividades”, lê-se na nota assinada pelo presidente Mário Sanches.

Mas, para isso, a Associação das Agências de Viagens acredita que será necessário um “programa de fomento empresarial e que possa ajudar as agências nesta necessária modernização e ampliação dos seus negócios para que possa acompanhar a evolução do mercado.”

Ainda segundo Mário Sanches, nestes sete meses à frente da associação a sua direção terá procurado alargar a sua base de parcerias para ampliar o seu mercado e construir condições efetivas para a transformação das agências de viagens em verdadeiras agências, também, turísticas e à conquista de novos mercados.

“Neste momento estamos em contatos avançados com a nossa congénere de Macau para uma forte parceria e que inclui áreas como a formação dos quadros associados, como também uma representação da AAVTCV, de forma a conseguirmos uma melhor promoção do destino Cabo Verde junto àquela e outras regiões chinesas e naquela parte do Globo”, indicou o responsável.

Igualmente, acrescentou, a AAVTCV está a pôr de pé uma estratégia de comunicação junto à embaixada russa, virada para os operadores e turistas daquele país, e intensificou as conversações com o Turismo de Portugal para trazer mais negócios para os pequenos operadores do ramo em Cabo Verde, que são a maioria das agências nacionais do ramo.

O presidente da Associação das Agências de Viagens diz acreditar que, se implementado com sucesso, este conjunto de ações permitirá a médio longo prazo, criar as condições favoráveis para que os seus associados possam vir a beneficiar deste novo quadro de regulamentação da entrada de turistas e estrangeiros em Cabo Verde.

Fonte: InforPress

Notícias

Santiago e São Vicente acolhem festival de cinema itinerante de Língua Portuguesa

Milhares de garrafas recolhidas no fim de semana no areal de Santa Maria vão dar vida a azulejos

Empresa de Macau negocia instalação de polo tecnológico em Cabo Verde

Portugal e Cabo Verde unidos pela livre circulação esperam "boas notícias" na CPLP

Santo Antão: Operadores dizem-se “vítimas da concorrência desleal” do turismo residencial que começa a ser fomentado na ilha