Abraão Vicente lamenta o estado em que se encontra a exposição no ex-campo de concentração do Tarrafal

Indústrias Criativas, Abraão Vicente disse hoje estar “consternado” com o estado de degradação em que se encontra a exposição do ex-campo de concentração do Tarrafal (ilha de Santiago).

Abraão Vicente fez este desabafo depois de ter visitado o campo no âmbito da sua deslocação ao Tarrafal a convite do edil local, José Pedro Nunes Soares, tendo antes visitado o Centro Cultural Pó de Terra, na cidade de Mangue.

Conforme explicou o ministro, ficou consternado ao ver de perto o estado em que se encontra o legado imaterial do ex-campo de concentração do Tarrafal, porquanto, o Governo está a preparar o dossier para a sua candidatura a património da humanidade, tendo lamentado o facto de “esta exposição de grande dimensão não tenha sido preservada pelo anterior responsável da área”.

“O aspeto que o ex-campo de concentração exibe neste momento não valoriza a memória, não dá a sua dimensão histórica e não favorece a cotação da história daquilo que cá se passou", frisou.

Lembrou ainda que o último relatório sobre o local destacava que o campo tem possibilidades de avançar para um eventual projeto a património da humanidade.

“Não vamos à procura de culpados, mas vamos reformatar essa exposição e voltar a colocá-la de modo a dar dignidade à memória dos que cá estiveram", disse, sublinhando ainda que é preciso repensar aquilo que é o projecto museológico do Tarrafal.

Abraão Vicente apontou, no entanto, que depois de criar um novo projecto museológico do Tarrafal e recuperar essa exposição, o próximo passo é criar uma comissão que vai dedicar-se nos próximos meses na preparação do dossier de candidatura para que em fevereiro de 2018 seja feita a sua apresentação à UNESCO.

O ministro fez saber ainda que anterior Governo deixou uma dívida de 18 mil contos referentes à infraestruturação do ex-campo de concentração do Tarrafal, o que contaria com a afirmação do PAICV no Parlamento, “porque não há obras visíveis”, enfatizou.

Neste sentido, informou que estão a fazer um levantamento para ver onde foi empregue este montante enquanto o Ministério das Fianças está a verificar a veracidade das facturas apresentadas e dos gastos.

Dando continuidade a sua visita ao Tarrafal, Abraão Vicente reúne-se ainda hoje, ao fim da tarde, com os agentes culturais, encontro que terá lugar no Mercado de Artesanato e Cultura.

Fonte: Inforpress

Notícias

Fundação Maio Biodiversidade há 12 anos a preservar a riqueza natural da ilha

Produtos hortícolas de Cabo Verde têm menos pesticidas do que os importados, explica director nacional do Ambiente

Santo Antão: Vinda de turistas islandeses à ilha confirma que turismo local está a conquistar novos mercados na Europa

Cabo Verde precisa de um quadro regulatório mais forte de integração entre a biodiversidade e o turismo

Sal: Praia de Santa Maria poderá hastear Bandeira Azul dentro de três anos – Biosfera1